Primeiros nove meses do ano trazem 4519 insolvências

Muitas empresas estão a encerrar portas, é o que revelam os dados do estudo da Coface sobre as Ações de Insolvência e Novas Constituições em Portugal até ao 3.º trimestre de 2011. As ações DIA, Declarada Insolvência Apresentada, registaram um aumento de 82,5%, mais de 685 entidades, comparado com igual período de 2010./images/textoimagens/fullsize/3510.jpg Muitas empresas estão a encerrar portas, é o que revelam os dados do estudo da Coface sobre as Ações de Insolvência e Novas Constituições em Portugal até ao 3.º trimestre de 2011. As ações DIA, Declarada Insolvência Apresentada, registaram um aumento de 82,5%, mais de 685 entidades, comparado com igual período de 2010.

 

O total de insolvências entre janeiro e setembro de 2011 apresenta um aumento de 35,8% face a igual período de 2010. No total apresentaram insolvência 4 519 entidades.

Os distritos que apresentam maior número de entidades com ações registadas são o Porto (1 087), Lisboa (882) e Braga (606), no entanto o maior aumento percentual face ao mesmo período de 2010 foi em Angra do Heroísmo (200%) e Vila Real (146,7%). Estas insolvências foram mais visíveis nos setores da indústria transformadora (973), construção e obras públicas (832), nos serviços (662), comércio por grosso (659) e no comércio a retalho (639). 

Criaram-se 27 005 empresas

Lisboa lidera o distrito com maior número de novas empresas, 7690 no total, seguem-se o Porto (5019) e Braga (2269). Com destaque negativo, em termos percentuais, estão os distritos de Bragança (35,8%), Horta (23.2%) e Setúbal (20,9%).

O setor dos serviços foi o que registou o grande aumento em termos absolutos, com a criação de 12115 novas empresas, no entanto em termos percentuais destaca-se o setor das telecomunicações com mais 76,4% de novas empresas.