Wine Element inaugura primeiro espaço em Lisboa

É a primeira rede nacional de wine bars e conta com o apoio de João Portugal Ramos. A livraria Ler Devagar na Lx Factory é aderiu ao conceito e a inauguração do espaço decorrerá no próximo dia 29 de setembro.

/images/textoimagens/fullsize/3452.jpg É a primeira rede nacional de wine bars e conta com o apoio de João Portugal Ramos. A livraria Ler Devagar na Lx Factory é aderiu ao conceito e a inauguração do espaço decorrerá no próximo dia 29 de setembro.

 

O primeiro espaço Wine Element já abriu, é na Ler Devagar, em Lisboa. Franchisadores e franchisado aproveitaram o Open Day da Lx Factory (onde se integra a livraria) para inaugurarem a unidade piloto da primeira rede de franchising de wine bars em Portugal.

O conceito apresentou-se ao público na Expofranchise e aposta no culto do convívio e da mesa e no prazer do vinho, aproveitando a nova dinâmica urbana de lazer, onde o experienciar está na moda, sendo os espaços-experiência os novos hits.

O projeto é uma parceria da beBusiness, empresa que gere várias marcas de franchising -Square Imobiliária, Square Obras, RealStone, Bloem e Wine Element, com o produtor de vinhos João Portugal Ramos.

"Este é um conceito claramente urbano mas que tem potencial para todo o país", adianta João Cunha, administrador da beBusiness, "pelo que esperamos ter dez franchisados até ao final do ano".

Por seu lado, Luís Castro, o mentor do projeto explica que "os vinhos serão principalmente da João Portugal Ramos mas também vamos abrir as portas a outras marcas". E para acompanhar os vinhos, João Cunha, garante que a oferta de ‘tapas' portuguesas – uma vez que a assinatura da marca é ‘vinho e tapas' – será de mais de 30 queijos e muitos outros produtos de charcutaria (presunto, enchidos, etc.)

 

Um espaço de experiências

A ideia é ter um ‘espaço dentro de um espaço' e além das livrarias, Luís Castro afirma que "galerias de arte, restaurantes ou outros espaços que queiram juntar ao seu negócio um wine bar". Espaços com sucesso comprovado, de experiências e com potencial de negócios complementares.

"É um conceito um pouco mais sofisticado mas que vai também buscar o nosso rústico", considera o administrador da beBusiness, referindo que "apesar de ser pensado para se integrar num local já existente, há possibilidade de virem a existir wine bars de rua, embora saibamos que implica um investimento muito mais elevado, mas tudo será pensado caso a caso".

Os Wine Elements são espaços com marca, modulares e adaptáveis, onde a cortiça será a presença predominante, aproveitando e fomentando a associação do vinho a este produto nacional e que é considerado o vedante de excelência para os vinhos.

"O espaço foi desenhado numa parceria com a Corticeira Amorim e a cortiça cria um ambiente agradável além de ser resistente, térmico e um excecional isolante acústico, pelo que ajuda ainda mais a criar um espaço próprio dentro do espaço exterior em que o #wine bar# se integra", explica João Cunha.

Segundo a Wine Element, este mercado tem grande potencial porque Portugal é o quinto maior consumidor de vinho do mundo (44 litros per capita) – mercado liderado por França com 53 litros per capita – e porque 95% das pessoas têm vontade de frequentar wine bars, de acordo com um estudo feito pela UCP em 2010.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui