60% das compras de Natal serão realizadas em Centros Comerciais

Entre os presentes que os portugueses desejam receber este Natal, os artigos de roupa e os acessórios de moda estão no topo da lista, reunindo 34% das preferências. Logo de seguida, os produtos culturais (28%) e os artigos de maquilhagem e perfumes (27%). Os resultados são do Observador Cetelem, que dá conta de que as compras continuarão a ser realizadas maioritariamente (60%) em lojas de Centros Comerciais.

O estudo revela que os portugueses gostariam ainda de receber relógios/joias e bebidas, com 16% a ter estes artigos na lista de desejos. Por outro lado, as prendas monetárias, que no ano passado estavam no top 3 de desejos, este ano são mencionadas por apenas 12% dos portugueses.

intenção de oferecer presentes mantém-se estável, sendo referida por 89% dos inquiridos (menos 1% do que em 2019).

Na lista de compras

De acordo com o mesmo estudo, além dos produtos culturais (30%) e do vestuário (50%), os portugueses (45%) revelam que também gostariam de receber vinhos e outras bebidas. 47% comprarão ainda brinquedos, um valor próximo daquele registado no ano anterior.

Os portugueses mantêm a intenção de oferecer, em média, um presente por pessoa, planeando gastar cerca de 22€ por cada pessoa, o que representa uma descida de 16€, face a 2019. No entanto, os inquiridos referem que irão oferecer presentes, em média, a 5 pessoas, menos uma que no ano anterior.

Onde comprar?

Tal como nos anos anteriores, as compras continuarão a ser realizadas maioritariamente em lojas de Centros Comerciais (60%), registando-se, ainda assim, uma descida em relação a 2019 (76%), e em super/hipermercados (41%, valor que se mantém inalterado). Já as lojas de comércio tradicional registam uma ligeira subida (28% – mais 4%).

De acordo com o Observador Cetelem, apesar das restrições, as intenções de compras online parecem manter-se estáveis: 10% deverão recorrer ao comércio eletrónico para fazer as compras de Natal. Neste meio, o que os portugueses procuram para oferecer são sobretudo produtos culturais (66%), brinquedos (45%) e vestuário e acessórios de moda (44%), com uma intenção média de gastos de 109€.

Ainda assim, antes de avançarem com as compras online, 92% dos portugueses informam-se sobre os produtos que pretendem comprar, mais 30 pontos percentuais face ao ano anterior. A fonte de informação preferencial neste campo continua a ser as lojas físicas (82%), seguidas pelas lojas e sites online (38%).

No que respeita à melhor altura para começar estas compras, 55% dos portugueses refere que só vai começar uma a duas semanas antes, com mais portugueses a começarem mais tarde as suas compras.