APCC prepara plano para defender o retalho em lojas físicas

A Associação Portuguesa de Centros Comerciais (APCC) comunicou estar a trabalhar num Plano de Retoma do Retalho, plano esse que visa, de forma clara, responder às necessidades que o comércio integrado está a sentir no âmbito das medidas de combate à pandemia.

Em comunicado, a APCC lembra que “é fundamental a contribuição de todos os intervenientes com responsabilidades no sector e do Governo para que este Plano encontre soluções e apoios para todo o comércio de forma integrada”, isto num ano em que “devido à impossibilidade de ter as lojas abertas, se está a assistir ao aumento exponencial do comércio online promovido por grandes multinacionais sediadas fora do território nacional”, sendo que o plano a apresentar deve “ser um apelo à mobilização conjunta do sector para defender o retalho em lojas físicas em Portugal”.

Divulgando que os seus associado “registaram perdas superiores a 600 milhões de euros nas ajudas dadas aos lojistas“, neste contexto a APCC informa “também que em 2020 fecharam cerca de 200 lojas nos espaços de comércio integrado representados pela APCC. Este foi o número mais alto alguma vez verificado num só ano, superior mesmo ao que se verificou nos anos da intervenção da “troika”. Sendo expectável que este número suba em 2021″.