E-commerce no comércio alimentar e retalho sobe 44% face a período pré-pandemia

As compras online no setor do Comércio Alimentar & Retalho registaram uma subida de 44% face ao período pré-COVID-19, revelam os dados da SIBS no conjunto de indicadores de evolução de consumo relativos ao período COVID-19 vivido nas últimas semanas, com base nos números da semana de 20 a 26 de abril.

O Comércio Alimentar & Retalho não foi, contudo, o setor que maior crescimento registou face ao período antes da pandemia, cabendo esse destaque ao Entretenimento, Cultura e Subscrições – aumento de 57% -, seguido da Restauração, Food Delivery e Take Away – aumento de 53%.

Na semana de 20 a 26 de abril, estes três setores juntamente com os das Farmácias & Parafarmácias, Perfumaria & Cosmética, Jogos & Brinquedos e Decoração & Artigos para o Lar, representaram 54% das transações online em Portugal, um ponto percentual abaixo da semana de 13 a 19 de abril.

Os dados da semana de 20 a 26 de abril demonstram que as compras físicas na rede Multibanco continuam a crescer, atingindo o valor mais elevado das últimas cinco semanas. Adicionalmente verifica-se uma diminuição da preponderância dos setores dos Super & Hipermercados, pequena distribuição alimentar, bebidas & tabaco, Farmácias e Parafarmácias, representando agora 65% do total de compras.

Olhando para a média de transações na Rede Multibanco e online em Portugal, as variações na semana de 20 a 26 de abril foram pouco significativas, mantendo-se praticamente inalterados os padrões de consumo dos portugueses. Comparando com a semana anterior verificou-se um aumento ligeiro de três pontos na média de compras em todos os canais físicos; nas compras online, a média de compras permaneceu inalterada face à semana de 13 a 19 de abril.

Em comparação com a média anterior ao registo do primeiro caso em Portugal, as compras em loja representaram novamente cerca de metade da média; nas compras online, a média global ficou 15 pontos abaixo do valor médio registado entre 1 de janeiro e 1 de março.

Analisando o valor gasto por cada compra na Rede Multibanco, a média caiu 3,3% para 38,1 euros, em comparação com os 39,4 euros da semana anterior; nas compras online, o valor médio subiu 2,3% para 40,6 euros, comparado com os 39,7 euros na semana anterior. Os valores médios por compra na semana de 20 a 26 de abril continuam consideravelmente acima da média do período antes da pandemia: no canal físico o valor é 10% superior e no online é 8,3% maior.

O MB WAY continua a ganhar peso nas compras feitas em Portugal, com destaque para a segunda semana consecutiva de aumento no número médio de transações através deste serviço na Rede MULTIBANCO, atingindo o registo mais elevado de utilização do MB WAY nas compras por canal físico desde que foi decretado o Estado de Emergência em Portugal. O valor registado na semana de 20 a 26 de abril ficou 10 pontos acima da média antes do registo do primeiro caso do novo Coronavírus (COVID-19) em Portugal. Nas compras online, o número médio de transações com o MB WAY atingiu igualmente o valor mais alto desde que foi decretado o Estado de Emergência e superou pela quarta semana consecutiva a média registada antes da pandemia. O registo da semana em análise ficou 15 pontos acima do registado antes do início da pandemia, crescendo oito pontos relativamente à semana anterior, de 13 a 19 de abril.