Há cada vez mais empresas nacionais com participação estrangeira

Há cada vez mais empresas nacionais com participação estrangeira

Atualmente, existem 9705 empresas nacionais com participação estrangeira no seu capital. De acordo com a mais recente análise da Informa D&B, estas empresas representam 47% do volume de negócios de todas empresas do país, assim como 72% do produto bancário, 92% dos prémios de seguros, 62% das exportações e 25% do emprego.

O estudo agora divulgado mostra que a presença de capital estrageiro nas empresas portuguesas está a crescer, nomeadamente através da constituição de novas empresas, mas também por via da aquisição de empresas nacionais.

Entre as grandes empresas (que faturam mais de 50 milhões de euros anuais), 64% têm participação estrangeira no seu capital e 48% têm controlo de capital estrangeiro, percentagem que desce à medida que diminui a dimensão das empresas.

Em 51% das empresas controladas por capital estrangeiro, o líder tem nacionalidade portuguesa, embora a tendência seja diferente conforme o país. Entre as empresas com capital norte-americano, 75% dos líderes são portugueses, percentagem que desce para os 39% no caso das empresas de capital alemão.

Segundo Teresa Cardoso de Menezes, diretora geral da Informa D&B, “a participação estrangeira nas empresas coloca os gestores nacionais em estreito contacto com gestores de outras nacionalidades, traz capital para financiar as empresas, know-how, inovação de produtos e processos, ao mesmo tempo que facilita as relações comerciais com outras geografias, promovendo o crescimento e a competitividade das empresas.”

O valor do investimento de entidades estrangeiras que controlam empresas em Portugal representa 341 mil milhões de euros, com mais de metade (51%) deste valor a dirigir-se à banca (40%) e seguros (11%), revela ainda o estudo da Informa D&B.

Para além disso, ficamos a saber, que só em 2017, nasceram em Portugal 815 empresas com controlo de capital estrangeiro, na sua maioria espanholas, quase o dobro do registado em 2010.

Cerca de 25% das novas empresas criadas em 2017 com controlo estrangeiro pertencem ao setor dos Serviços, seguindo-se as empresas de Atividades Imobiliárias, que passaram de 35 constituições em 2010 para 183 em 2017. As Telecomunicações representam 9% dos nascimentos destas empresas.

Importa também referir que Espanha lidera a lista de países com controlo de capital em maior número de empresas portuguesas. Das 7866 empresas com controlo de capital estrangeiro, mais de 25% (2040) são controladas por capital espanhol. Segue-se França, que controla mais 738 empresas portuguesas.

Analisando a estrutura setorial, ficamos a saber que a Alemanha concentra mais de metade do negócio nas Indústrias e os Estados Unidos da América e o Reino Unido concentram quase metade do negócio no setor Grossista. Para além disso, as empresas controladas por capital alemão são as que registam maior vocação exportadora, representando 7,2% do total das exportações portuguesas.