Vender tremoço? Isso mesmo

Vender tremoços? Isso mesmo!

Chama-se 3Mosso e é uma nova marca 100% nacional que pretende revitalizar um dos petiscos mais apreciados pelos portugueses: o tremoço. Com um conceito cool e gourmet, este tremoço não é um tremoço qualquer. Disponível nas variedades simples, alho e orégãos ou picante, o 3Mosso estreia-se nos festivais de verão nacionais com uma embalagem de papel, concebida para conter, de um lado, o tremoço, e do outro as cascas.

A ideia é do empreendedor Diogo Campos Costa, que durante um semestre de Erasmus, na Holanda, percebeu que naquele país não existiam snacks saudáveis para acompanhar uma cerveja. “Não conseguia encontrar tremoços em lado nenhum, tendo mesmo abordado diversas pessoas e ninguém sabia do que se tratava. Ao descobrir isto, percebi que faltava no mercado um snack saudável para acompanhar a cerveja e o tremoço seria a solução. Acredito também que este potencial seja igualmente elevado noutros países com grande consumo de cerveja. Ao regressar a Portugal, comecei a pensar num novo conceito para este produto tão tradicional português, como o tremoço. É um produto visto como algo simples e popular, sem grande envolvimento de marcas. Conclui assim que existia um novo segmento por explorar, a criação de uma nova marca com um novo conceito para este produto, criar algo cool, trendy, saudável e gourmet”, revela à Negócios & Franchising.

Para que a ideia se tornasse numa realidade, desenvolveu uma parceria com um produtor nacional de tremoços, que para além de fornecer o produto, utiliza as receitas desenvolvidas pelo jovem empreendedor. Sobre investimentos não quer falar, mas confessa que “quando criamos algo que tem um valor pessoal incalculável, o investimento monetário acaba por ser secundário. Estou a lançar um projeto que me é muito querido e, acima de tudo, a apostar numa área que sempre me fascinou: o empreendedorismo. No passado desenvolvi outros projetos, nomeadamente de uma sidra de pera rocha ou um sistema de controlo de rega completamente automático, e ambos deram-me enorme satisfação pessoal. Apesar de muitos hoje em dia considerarem que o empreendedorismo é apenas uma moda, no meu caso é algo que tem vindo a acompanhar-me há já vários anos e que me dá uma enorme realização pessoal e profissional.”

O novo produto gourmet ‘Made in Portugal’ estreou-se este ano no concerto dos Guns N’ Roses e tem andado à conquista de festivais de verão como o EDP Beach Party, o NOS Alive, o Super Bock Super Rock, o EDP Cool Jazz e o MEO Sudoeste.

“Vamos ter embalagens de papel para os festivais de verão. São embalagens a pensar no ambiente e no desperdício, com dois recipientes, um para os tremoços e outro para as cascas. Para além destas, foi também feito um molde para estar nos restaurantes e integrar o nosso produto nas lojas gourmet. Esta peça é feita e pintada à mão, em barro, em São Pedro do Corval, a maior terra oleira em Portugal”, explica.

No primeiro ano de atividade da marca, Diogo Campos Costa espera vender cerca de 10 mil quilos de 3Mosso, o que corresponde a cerca de 100 mil unidades. Depois disso, o empreendedor espera poder aventurar-se em novos mercados onde o consumo deste petisco não é ainda um hábito.

“A internacionalização é um dos grandes objetivos no horizonte desde a criação deste projeto. Daí também a designação adotada que permite, em qualquer idioma, facilmente pronunciar a palavra tremoço, para além das óbvias vantagens do ponto de vista e imagem, mais simples e mais apelativa. Neste momento estamos já em contacto com uma cadeia de lojas gourmet em França e com um gigante de distribuição no Brasil, detentora de diversos supermercados”, revela-nos.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui