Century 21

Century 21: Expectativa de crescimento a dois dígitos

Para Ricardo Sousa, administrador da Century 21 Portugal, “mais que o momento do mercado imobiliário, a grande oportunidade está na profissionalização da mediação imobiliária em Portugal e na perceção de valor do serviço prestado pelo mediador e consultor imobiliário. O ano imobiliário de 2016 foi um ano sem precedentes no passado recente em Portugal no turismo, investimento e transações imobiliárias. Uma dinâmica que claramente voltou a colocar o mercado imobiliário no radar de investidores nacionais e internacionais e das famílias portuguesas. Foi um ano abalado por eleições em Portugal, Reino Unido (BREXIT) e EUA que nos fizeram “tremer”, contudo o mercado absorveu bem as ondas de choque”, indica este responsável que, por essa razão, refere que “Este é o ano dos proprietários” e que é imprescindível aumentar a oferta de imóveis, ajustados às reais necessidades da procura, acrescentando: “Atualmente, são as famílias portuguesas e os mercados periféricos que estão a dominar as transações imobiliárias, e os valores médios de aquisição situam-se abaixo da fasquia dos 200 mil euros. Os portugueses não estão a conseguir soluções de habitação no centro das cidades, quer em termos de aquisição, quer de arrendamento, e estão a ser obrigados a procurar casa nas periferias dos grandes centros urbanos”.

Para a Century 21, a expectativa é que o mercado volte a crescer a dois dígitos: “O nosso objetivo é crescer mais que o mercado, ou seja, no mínimo um crescimento de 20% em volume de negócio. Os resultados operacionais de 2016 demonstram que este foi o ano de maior crescimento, de sempre, na Century 21 Portugal. Entre janeiro e dezembro de 2016 a faturação da rede imobiliária subiu para os 25 milhões de euros, o que representa um aumento de 36 % face aos 20 milhões de euros registados no mesmo período do ano anterior”, revela Ricardo Sousa.

(Visited 84 times, 1 visits today)