Conheça os setores que mais crescem em franchising

Conheça os setores que mais crescem em franchising

Consultoria financeira, grande distribuição e mediação imobiliária foram os setores que se destacaram na lista das marcas que mais cresceram.

Há pelo menos dois anos que a MaxFinance é uma das redes de franchising que mais cresce em número de unidades em Portugal. No final do primeiro semestre do ano passado, a consultora financeira tinha 28 unidades a mais do que em 2016, o que lhe valeu a posição cimeira no ranking de crescimento, para além do primeiro lugar no top de baixo investimento.

“O ano de 2017 foi, de facto, um período de grande crescimento, não só pelo acompanhamento das tendências positivas do mercado, mas, sobretudo, pela consolidação do nosso modelo de negócio”, afirma Gustavo Jorge, responsável de expansão da MaxFinance. “Simultaneamente, 2017 foi um ano de afirmação e reconhecimento da estratégia implementada, destacando dois prémios muito importantes: pelo segundo ano consecutivo, obtivemos a Certificação PME Líder e a atribuição pelo Instituto de Franchising do Primeiro Lugar na Categoria de Expansão Serviços.”

Ao longo de 2017, a MaxFinance cresceu em 79 novas unidades, e os planos para 2018 não são de abrandamento: “O crescimento da rede é um dos objetivos estratégicos para 2018. Para o efeito, está definido um posicionamento em todas as capitais de distrito, bem como a implementação de novas unidades em centros urbanos e localidades de pequena e média dimensão, de forma a podermos prestar um serviço de relação e proximidade.”

Parte do mesmo grupo que a MaxFinance, a Remax ocupa o segundo lugar na lista de marcas que mais se expandiram em 2017. Só no primeiro semestre do ano passado, foram 16 as novas aberturas da rede de agências imobiliárias, de 236 unidades para 250.

A fechar o top três de crescimento está a marca de vending Grab&Go. “Vamos em breve atingir as 140 lojas Grab&Go em Portugal e, por isso, atrevo-me a dizer que atingimos uma fase de maturidade do negócio e da marca. No entanto, a área do vending continua a crescer, pois as pessoas estão a habituar-se cada vez mais a adquirirem produtos em máquinas automáticas e como gostamos de estar à frente nas tendências vão surgir novidades”, garante Vivaldo Caseiro, responsável da Grab&Go.

A marca quer continuar a crescer em Portugal e no estrangeiro, com a inauguração de 20 unidades em solo nacional e duas no estrangeiro, em França e Alemanha.

Com oito unidades a mais do que em 2016, a Century 21 ocupa a quarta posição do ranking. Depois da ausência do ranking de crescimento de 2016, a rede imobiliária está a atravessar uma nova fase de crescimento, como explica Ricardo Sousa, CEO da rede em Portugal: “Para nós, mais importante que a abertura de novas unidades é garantir a retenção das lojas que integram a nossa rede imobiliária, e assegurar que a marca Century 21 acrescenta valor aos seus franqueados, permitindo o crescimento da rentabilidade das suas lojas e o aumento da produtividade individual dos seus colaboradores. Neste sentido, atribuímos novas licenças para representação da marca em território nacional, para reforçar o posicionamento da Century 21 Portugal, em particular, na Área Metropolitana de Lisboa, Área Metropolitana do Porto, Algarve e também na Costa Alentejana”, revela.

Uma ajuda do turismo

Sublinhando que 2017 foi “um ano excelente para a mediação imobiliária”, Ricardo Sousa diz que o principal desafio da marca foi “manter os pés assentes no chão” para assegurar o crescimento sustentado da rede. E deixa alguns números que mostram o quanto o negócio da Century 21 cresceu, destacando que são “máximos históricos”: “A faturação da rede aumentou cerca de 35%, superando os 35 milhões de euros. O número de transações subiu 37%, e ultrapassou a fasquia das dez mil transações de venda, enquanto o número de colaboradores excedeu os dois mil e foram superadas as cem unidades em operação.”

Este ano, a marca quer apostar no reforço da sua notoriedade e aumentar o uso de tecnologia em alguns dos seus segmentos de mercado em crescimento. Para além disto, estão ainda previstas novas aberturas nos distritos do Porto, Lisboa, Setúbal, Coimbra, Aveiro, Castelo Branco, Guarda, Portalegre, Beja e Faro. “O turismo e a notoriedade internacional do país estão a impactar positivamente várias indústrias e setores, e esta tendência é previsível que se mantenha estável, embora mais moderada, em 2018”, nota o CEO da Century 21.

Tanto o Minipreço como a Atlantic Car Wash abriram sete novas unidades no primeiro semestre de 2017, o que lhes garantiu, respetivamente, o quinto e sexto lugares na lista.

Comentando o crescimento da marca, José Carlos Correia, diretor de terceiros do grupo Dia, detentor do Minipreço, afirmou que “a franquia Minipreço é um modelo de negócio que permite a entrada de empresários nacionais num universo empresarial sólido e de confiança, com uma política de crescimento consistente, com uma forte estratégia dedicada ao sucesso do modelo de franquias. Estamos certos de que o facto de termos o nosso atual modelo testado e comprovado em mais de 250 unidades em todo o país é razão, por si só, para atrair empreendedores para uma fórmula vencedora”.

O diretor de terceiros acrescentou ainda que o crescimento vai também ser a estratégia da marca em 2018, assim como a consolidação da rede, com especial ênfase para o crescimento nos grandes centros urbanos.

No sétimo lugar encontramos outra marca da grande distribuição – a Meu Super, que cresceu seis unidades no primeiro semestre do ano passado. “De facto, a rede de lojas Meu Super evoluiu muito em apenas seis anos. Foi a marca que cresceu mais em franquia de 2015 a 2017 [fonte IFE, empresa detentora da revista Negócios&Franchising]. A justificação para este sucesso é que este modelo de negócio é diferenciador e beneficia da solidez e da confiança proporcionada pelo maior retalhista português como a Sonae MC”, explica António Filipe, diretor geral do Meu Super.

Parcerias sólidas

Outros motivos de sucesso, segundo a responsável, são a “relação forte e sustentável” que a marca tem com os seus franchisados e o próprio modelo de negócio, “uma solução vantajosa para ambas as partes – franquiado e clientes”.

Se o turismo ajudou o negócio da Century 21 a crescer, colocando Portugal na moda, o mesmo aconteceu com outra rede do setor de viagens. Com mais cinco unidades, num total de 31, a ClickViaja, com está na oitava posição do ranking, um desempenho que Paulo Manuel, diretor geral, diz ser resultado não só do maior número de viajantes, mas também do “trabalho continuado de consolidação da marca”.

Embora sem adiantar resultados de faturação, a rede de viagens, que iniciou a sua atividade em Portugal em 2012, garante que “o crescimento foi muito significativo”. Este ano, para além de novas aberturas na Grande Lisboa e Porto, Madeira e Açores, a clickviaja.com tem como objetivo reforçar parcerias com os operadores turísticos e concentrar-se na formação das suas equipas.

Em nono lugar, a Multiópticas registou um crescimento de quatro unidades, as mesmas inauguradas pela rede Bosch Car Service, que encerra o ranking de crescimento. Segundo Raquel Marinho, responsável de marketing da marca e parte da equipa desde o seu lançamento em Portugal, o sucesso da Bosch Car Service deve-se aos seus parceiros, tanto os já existentes, como os que se juntaram à rede no ano passado. “O ano de 2017 foi mais um ano marcado pela abertura de novas unidades por parte de parceiros que já estavam a representar a nossa marca. Obviamente, também integrámos oficinas com as quais não tínhamos uma relação prévia e, também nesses casos, notámos que os parceiros estão mais recetivos a trabalhar de acordo com as orientações de um master e a respeitá-las. No início era mais difícil transformar hábitos e encontrar empresas genuinamente orientadas para a satisfação do cliente. Hoje, essa consciência já é mais global e percetível.”

(Visited 187 times, 11 visits today)