Consultoria, ambiente e limpezas lideram

Consultoria, ambiente e limpezas lideram

À semelhança do que tem vindo a acontecer nos últimos anos, o setor financeiro sobressaiu no Top 10 das empresas com maior crescimento no setor dos serviços para empresas e mistos no âmbito do franchising em Portugal. As limpezas também continuaram a marcar presença e a consciencialização ambiental começou a ganhar força.

Com a crise financeira mundial de 2008, e a consequente maior dificuldade em obter crédito e também em consolidar os vários créditos das famílias sobreendividadas, cresceram as oportunidades de negócio na área da consultoria financeira no mercado nacional.

Passado o pior da crise, muitas dessas consultoras acabaram por redefinir as suas estratégias, expandindo as suas áreas de atuação. Foram crescendo à medida das necessidades da nova realidade e continuam a dar cartas, até porque os clientes estão hoje mais sensibilizados para a tomada de decisões com aconselhamento profissional.

Outros tipos de consultoria, como a consultoria para empresas, também ganharam espaço. E isso tem sido evidente, nos últimos anos, no ranking das empresas com maior crescimento no setor dos serviços para empresas e mistos no âmbito do franchising em Portugal.

O primeiro semestre de 2017 não foi exceção: das 14 marcas que fazem parte do Top 10, cinco estão ligadas à indústria financeira, na área da consultoria: Maxfinance, Atlas Seguros, Acountia, Exchange e Finaccount.

A liderança da tabela coube, uma vez mais, à Maxfinance, que realça que ao fim de 10 anos de atividade, tem “um posicionamento sólido, com uma estrutura madura, capaz de prestar um serviço com elevados padrões de qualidade, defendendo sempre uma consultoria financeira preventiva e formativa”.

“Simultaneamente, os excelentes resultados alcançados no ano transato vêm reforçar as opções estratégicas tomadas desde a génese do projecto, em que as mesmas estão enquadradas com as necessidades do mercado e representam um modelo de negócio muito competitivo para quem pretende desenvolver esta atividade”, explica Gustavo Jorge, responsável de expansão da marca.

A rede Maxfinance é constituída por equipas “com vasta experiência ao nível do setor bancário e segurador, com competências diversificadas que permitem dar uma resposta global, independentemente do segmento de clientes”, acrescenta o mesmo responsável, sublinhando ainda que a formação desempenha um papel crucial na preparação das equipas. “Em 2017 realizámos mais de 250 horas de formação, abrangendo diferentes áreas técnicas, envolvendo não só a estrutura interna, bem como os diversos parceiros de negócio”.

Também a fazer frente, com êxito, à grande concorrência neste setor, está a Atlas Seguros, que se manteve no segundo lugar do ranking. “A atividade da Atlas Seguros tem vindo a crescer, com o aumento substancial da sua carteira de seguros, fruto da fidelização dos seus clientes, assente numa oferta de soluções inovadoras e muito competitivas”, salienta o seu CEO, Paulo Antunes.

Também a terceira posição do ranking não mudou de mãos: a Acountia – Business Consulting & Accounting manteve o lugar que já ocupava em 2016. E segundo Joana Carvalho, gestora da marca, o setor da contabilidade em Portugal tem evoluído muito. “Nos últimos anos, percebe-se que esta área vem adquirindo um espaço cada vez maior no mercado e continuará em ascensão contínua”, observa.

A Acountia consegue assim manter-se firme neste negócio, onde presta um serviço de contabilidade e consultoria voltado para gestão da empresa e para a tomada de decisão. “Este serviço de contabilidade pressupõe alguns aspetos fundamentais, que exigem aos profissionais rigor de atuação, conhecimento das temáticas e tempo para lidar com este tipo de informação, instrumento essencial na atual gestão de uma empresa”, explica Joana Carvalho.

Ainda no ramo financeiro, temos a Exchange na 6ª posição, uma subida de um lugar face ao ano passado. António Godinho, administrador e “pai “ da marca, aponta que a Exchange fechou o ano de 2017 com bons resultados, com um crescimento do seu volume de negócios relativamente ao ano anterior. “O ano de 2017 marcou também o arranque das atividades da Exchange em Angola e Moçambique”, destaca.

A fechar o quinteto das marcas do setor financeiro está uma estreante na tabela, que entra directamente para a 9ª posição: a Finaccount. E o negócio segue em franco crescimento, como atesta o seu CEO, Amândio Antunes. “Como é do conhecimento geral, os últimos anos não foram fáceis para a economia portuguesa, com o investimento a atingir níveis extremamente baixos e o desemprego a subir para valores preocupantes. Esta conjuntura desfavorável fez realçar a importância da correcta gestão de recursos como factor determinante do sucesso empresarial no médio e longo prazo, acautelando riscos financeiros que podem inviabilizar o futuro dos negócios e das empresas”, explica.

A procura de serviços de consultoria financeira e de gestão pelo mercado tem registado um incremento no último ano desta área de negócio da Finaccount, com resultados já visíveis nas contas de 2017, garante o seu presidente executivo. Com efeito, a Finaccount tem neste momento em carteira a negociação de financiamentos para clientes na ordem de 45 milhões de euros, o que representa um acréscimo de mais de 50% face ao período homólogo.

 

O maravilhoso mundo da reciclagem e das energias renováveis

Com as alterações climáticas na ordem do dia, tem havido uma maior sensibilização para o ambiente e para as energias limpas. Apesar de os cépticos refutarem o ritmo destas alterações e de os EUA terem virado as costas ao Acordo de Paris para o Clima, o certo é que os extremos das temperaturas têm vindo a trazer mais adeptos para a causa do respeito pelo ambiente.

E isso está patente também neste ranking. A InforEco, com a sua reciclagem de consumíveis informáticos, conservou o 4º lugar da tabela e a sua atividade em Portugal tem estado a desenvolver-se “de uma forma consistente e com algum crescimento”, afirma Miguel Pinto, administrador e responsável pelo departamento de expansão da marca.

“Depois de alguns anos em que o setor esteve menos dinâmico, assiste-se novamente ao recuperar da confiança dos consumidores e isso acaba por se refletir no desempenho de cada um dos pontos de venda franchisados e, portanto, na marca em geral”, explica.

Ao longo dos últimos três anos a InforEco investiu sistematicamente na inovação produtiva e na introdução de novos artigos, o que minimizou o impacto da crise económica que se fez sentir. “Assim, de uma forma geral podemos dizer que a atividade da InforEco está a correr bem, dentro dos objetivos que tínhamos definido”, resume Miguel Pinto.

E há duas estreias neste ranking que também cabem nesta categoria: a ec3R, direcionada para a recolha de Óleos Alimentares Usados (OAU); e a SunEnergy, especializada na oferta a particulares e empresas de soluções baseadas em energias renováveis.

Raul Santos, diretor-geral da SunEnergy, conta que a atividade da empresa tem corrido bastante bem. “Por um lado, o clima económico do país melhorou, por outro, cada vez mais empresas e particulares vão tomando consciência das vantagens – energéticas, ambientais e económicas – de recorrer a energias renováveis, sobretudo à energia solar”, explica.

“Após o investimento inicial, as nossas soluções de energia solar, e nomeadamente as de autoconsumo, apresentam-se como muito vantajosas, o que tem feito com que ganhemos cada vez mais projetos de grande dimensão em diversas áreas de atividade”, resume.

 

Limpezas, formação, estudos de mercado e tecnologias de informação

Também o segmento das limpezas continuou a marcar presença neste ranking, desta vez com três marcas. São elas a repetente Jani-King e duas estreantes, ambas do grupo NBrand: Branquia e GuardClean.

Mas não só. Outros ramos de atividade como a formação e os estudos de mercados – representados pela MD-Form e pela MDResearch, ambas marcas do universo MultiDados – estão também presentes na tabela das empresas franchisadas com maior crescimento nos primeiros seis meses de 2017 no mercado nacional.

Destaque ainda para a Esinow, marca que opera na área das tecnologias da informação (TI [IT na sigla em inglês]) e que se apresenta como líder na comercialização e gestão de soluções Cloud. Pertencente ao Grupo Onebiz, diz estar a atravessar uma fase de crescimento, à conta de “uma oferta única e diversificada de produtos e serviços IT, cujo resultado é a gestão de uma carteira mundial de mais de 120.000 clientes e parceiros”.

 

“As empresas, que cada vez mais procuram soluções IT que sejam simultaneamente seguras e que lhes permitam garantir o maior lucro das suas empresas, vêm cada vez mais a Esinow como a solução ideal”, afirma Adriana Fangueiro, responsável de marketing e comunicação da marca.

 

Um setor com boas perspetivas

As marcas que operam nos serviços para empresas e mistos registam, assim, bons desempenhos, e o futuro parece ser promissor. Tudo porque há ainda muito por onde crescer.

“O mercado de serviços tem sido marcado pela crescente procura, não só devido aos tempos de crise, mas também pelo facto de hoje os clientes estarem mais sensibilizados para a tomada de decisões com aconselhamento profissional”, salienta Joana Carvalho.

Na Acountia, segundo a gestora, “é notória a necessidade e a procura do empresário português no que respeita aos nossos serviços”. “Numa altura como esta, o apoio à gestão é fundamental para suster o tecido empresarial, desde as microempresas às PME e, neste sentido, a Acountia tem sido o braço direito dos seus clientes ao estar ao lado a lado com o empresário, aconselhando-o a tomar as melhores decisões para o seu negócio”, acrescenta.

Também António Godinho considera que este tipo de serviços tem desempenhado um papel preponderante no setor do franchising em Portugal. “Estamos certos de que este tipo de serviço especializado, com uma marca forte, faz a diferença no mercado”, destaca o administrador da Exchange.

Otimismo é igualmente a palavra de ordem do CEO da Atlas Seguros. Para Paulo Antunes, os serviços para empresas e mistos “estão fortemente dependentes do setor económico, que, como sabemos, está a crescer. No caso da Atlas Seguros, a nossa principal força está no foco nas necessidades dos nossos clientes, o que nos permite trabalhar de forma muito eficaz setores de atividade-alvo”.

A InforEco não foge à regra e espelha também o mesmo otimismo. “O setor dos serviços para empresas e mistos tem evoluído positivamente, na nossa opinião, impulsionado em boa parte pelo comércio electrónico e pela apresentação de serviços e produtos mais eficientes com melhor relação qualidade/preço. Neste sentido, as empresas continuam a procurar a maximização dos seus investimentos e procuram serviços e produtos que supram as suas necessidades e exigências de uma forma cada vez mais plena”, explica Miguel Pinto.

“No nosso caso, tendo em conta que oferecemos uma alternativa económica e viável em relação aos produtos propostos pelas grandes marcas de equipamentos de impressão, conseguimos perceber que a procura se mantém elevada, apesar de neste momento as empresas não estarem no mesmo grau de aperto financeiro, comparando com anos anteriores”, remata.

 

O ranking

A Maxfinance, especializada em consultoria financeira, manteve a liderança da tabela, com 178 unidades (177 das quais franchisadas), e a Atlas Seguros – que resulta da integração de nove corretoras portuguesas e que aconselha soluções de cobertura e custos – também conservou a segunda posição (com 83 unidades, 82 das quais em regime de franchising).

A Acountia, marca de contabilidade e apoio à gestão, segurou igualmente a sua posição no ranking, mantendo-se no terceiro lugar, com 41 unidades (40 franchisadas). O mesmo aconteceu com a Inforeco – que continuou a garantir a quarta posição, com 34 unidades (33 franchisadas).

A escalar um lugar estiveram a Jani-King – que se destaca no franchising de limpezas e que subiu da 6ª para a 5ª posição (32 unidades, uma delas própria) – e a Exchange, que passou da sétima para a sexta posição (20 unidades, uma delas própria).

Também a MD-Form (marca de franchising da MultiDados, que atua na área da formação) subiu uma posição, ao passar do oitavo para o sétimo lugar, com 14 unidades – 13 das quais franchisadas.

Em oitavo lugar surge a Esinow, que opera na área das Tecnologias da Informação, com 11 unidades no total, todas elas franchisadas.

A nona posição é ocupada, ex-aequo, pela Finaccount, ec3R e SunEnergy, todas elas a estrearem-se nesta tabela com 8 unidades cada uma.

No décimo lugar, mais três marcas em pé de igualdade, a fazerem entrada direta no ranking com um total de seus unidades cada uma: a Branquia e a Guard Clean, ambas do grupo NBrand e a operarem na área da limpeza, e a MDResearch, do universo MultiDados, a atuar na esfera dos estudos de mercado.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui

(Visited 135 times, 1 visits today)