franchising restaurantes libaneses Shukran

Cozinha libanesa em franchising chega a Portugal

por Ana Tavares

O conceito é simples: cozinha mediterrânica com influência libanesa. Criada em Espanha, em 2011, a Shukran é uma das novidades em franchising no setor da restauração para 2017. Portugal é o primeiro país estrangeiro a receber a marca madrilena, que conta com três restaurantes franchisados e duas unidades próprias no país vizinho. “Entendemos que o crescimento através do modelo de franchising nos garante o cumprimento dos padrões de qualidade e serviço que estabelecemos na central, permitindo replicar nos nossos franchisados o êxito que temos nos nossos restaurantes”, explica Catarina Silva, responsável pela expansão da marca em Portugal. “Tanto nós como os nossos franchisados estamos felizes com este modelo”, acrescenta.

Esta cadeia de comida saudável, a primeira na Europa que mistura a cozinha mediterrânica com as influências libanesas, salienta Catarina Silva, está neste momento em fase de prospeção em Portugal. No entanto, a responsável já adiantou que as áreas prioritárias para a expansão são o Porto e Lisboa. “O Porto porque conta com a maior colónia de libaneses em Portugal. Lisboa por se tratar da maior cidade de Portugal.”

Em 2017, a marca tem como objetivo abrir pelo menos três unidades em Portugal, todas em localizações privilegiadas, já que assegurar a localização mais adequada ao modelo de negócio da Shukran é absolutamente primordial para a marca.

Departamento de felicidade

Para garantir a qualidade dos produtos e facilitar a tarefa aos futuros franchisados, a Shukran conta com uma cozinha central própria, “um espaço com mais de 1000 metros quadrados, onde se combina a última tecnologia com as mãos artesãs dos nossos trabalhadores para criar, diariamente e de forma natural, os pratos que servimos em cada um dos nossos restaurantes e os produtos gourmet que comercializamos em diferentes pontos de venda”, refere a responsável. À procura de franchisados empreendedores e proativos, que demonstrem verdadeira paixão pela gastronomia e restauração, a marca criou um departamento que se encarrega da Felicidade do Franchisado. Através deste, explica Catarina Silva, a Shukran garante “a correta integração do franchisado na rede e antecipa os problemas, descobrindo-os e trabalhando para que se resolvam com agilidade e qualidade no menor intervalo de tempo possível”.

O investimento inicial para abrir uma unidade Shukran – termo que significa “obrigado” em árabe – deverá rondar os 110 mil euros (dos quais 18 mil são direitos de entrada), mas o valor varia consoante a localização e modelo de negócio escolhido, que vai desde quiosques a restaurantes de maiores dimensões. “Em Portugal, a nossa previsão é de que a faturação média anual seja de 360 mil euros.” Mensalmente, desta serão deduzidos royalties e uma taxa de publicidade na ordem dos 4% e 2%, respetivamente. Já o retorno do investimento deverá ocorrer em dois anos. “Mas tentamos diminuir esse tempo, graças ao acompanhamento, ferramentas de marketing e sistemas de comunicação que temos implementados no nosso sistema”, salienta Catarina Silva.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui