Expandir em franchising, um barril de cada vez

Expandir em franchising, um barril de cada vez

Os vinhos e o franchising são normalmente como a água e o azeite – não se misturam. Mas, a marca Victor Horta, criada pelo empreendedor com o mesmo nome, vem desafiar esta noção barril a barril. A empresa familiar alfacinha, criada em 1981, tem-se distinguido enquanto produtora, distribuidora e vendedora de bebidas alcoólicas (desde vinho e seus derivados às bebidas espirituosas) em barris de 2 a 15 litros. Agora, o conceito vai também estar disponível em franchising um pouco por todo o país. “No início do presente ano, decidimos criar e formalizar um franchising de marca e de produto, na área de distribuição de bebidas alcoólicas, através de um packaging próprio (o barril), como meio de expandir a marca e dar a conhecer mais os nossos produtos”, explica André Aquilino Horta, diretor criativo da marca.

Este conceito de packaging diferenciador foi desenvolvido em 2012, já que a Victor Horta começou como uma empresa de vitivinicultura, com muitos vinhos criados através das suas próprias marcas. Parte de um projeto patenteado a nível europeu e de inspiração tradicional, os barris usados pela marca são produzidos numa unidade artesanal “através do engenho e da arte de um mestre tanoeiro” que é parceiro da rede. “Avivámos e renovamos um meio de exportação tradicional ressentido, e que desta forma valorizámos, contribuindo para o desenvolvimento da tanoaria portuguesa”, diz o diretor criativo, acrescentando que um dos pontos fortes da marca em termos competitivos é “ter todo o projeto patenteado, certificado e registado, desde o barril à rastreabilidade dos produtos”. No futuro, a marca quer também alcançar a certificação florestal no âmbito internacional, comercializando assim um dos primeiros barris do mundo provenientes de florestas sustentáveis. No entanto, para além destes recipientes em madeira, a Victor Horta tem também disponíveis garrafas, que os clientes podem levar e “reencher” diretamente do barril nos estabelecimentos que adiram a este serviço.

Neste momento, a Victor Horta conta já com três unidades distribuidoras que irão transitar para o regime de franchising ainda este ano. Duas estão em Portugal – em Lisboa e na Madeira – e a terceira fica no Luxemburgo, assegurando assim de imediato a internacionalização da rede. Este ano, o objetivo é, por isso, expandir o projeto em franchising para todo o território nacional. “Temos ainda três produtos a serem lançados este ano: um licor e duas bebidas espirituosas”, adianta André Aquilino Horta.

Para além dos muitos anos de experiência da empresa, uma das vantagens para os franchisados é este ser um investimento de baixo custo: uma unidade da marca irá custar-lhe em média cerca de quatro mil euros, dependendo da sua localização, mas os direitos de entrada podem chegar aos dez mil euros. Do mesmo modo, os royalties podem oscilar entre os 5% e os 15%, ao passo que a taxa de publicidade é fixa, com o valor de 1,25%. “O retorno do investimento é sempre variável, pois neste caso, não estamos à espera que o cliente venha até nós, mas sim o contrário. Um estudo de mercado da zona geográfica a ser explorada será sempre uma ajuda necessária”, refere o diretor criativo da Victor Horta.

À procura de franchisados ambiciosos, com espírito empreendedor e capacidade de organização e trabalho, a empresa lisboeta oferece apoio na escolha da zona geográfica a ser explorada, na publicidade e marketing da marca, e ainda ajuda na obtenção de financiamento e no desenvolvimento de produtos da melhor qualidade ao melhor preço. E isto merece um brinde.

Franchising em fase inicial

Marca: Victor Horta

Atividade: Produtor, engarrafador, vendedor e distribuidor de bebidas alcoólicas em barris

Investimento inicial: €2.000 a €10.000

Royalties: 5% a 15%

Taxa de publicidade: 1,25%

Área média de loja: 50m