franquias DIA

Grupo DIA: “Estamos satisfeitos com o negócio em Portugal”

Amando Sánchez, diretor corporativo do Grupo Dia, revelou esta quinta-feira (23 de fevereiro) na apresentação dos resultados financeiros da empresa, que a companhia está satisfeita com o seu exercício em Portugal durante o ano de 2016. O Grupo DIA registou em 2016 um crescimento de 10,2%, com as vendas brutas a atingirem 10 550 milhões de euros.

Numa nota enviada às redações, a empresa revelou que no mercado ibérico as suas vendas registaram um aumento de 1,1%, atingindo os 6 815 milhões de euros, com Portugal a registar vendas de 848 milhões de euros, mais 3% do que em 2015.

“As nossas prioridades para o ano de 2016 eram claras: crescimento de vendas, geração de caixa e orientação ao cliente, e conseguimos fazê-lo. As vendas comparadas consolidadas em 2016 cresceram 8,7%, um registo recorde da empresa desde a sua entrada em bolsa em 2011, com uma contribuição comparável positiva de todas as zonas geográficas em que está presente. O investimento sustentado em preços, combinado com a melhoria do serviço ao cliente, está a trazer bons resultados a todo o universo DIA. Em 2016, também se registou um progresso significativo no desenvolvimento do nosso negócio com os sócios locais. Trabalhamos todos os dias com mais de 3 300 empreendedores para satisfazer todos os nossos clientes, e obtivemos uma melhoria significativa nos seus níveis de satisfação, o que é algo que nos deixa extremamente orgulhosos. Também fomos capazes de gerar 207 milhões de euros de volume de caixa de operações e reduzir a dívida líquida em 254 milhões de euros. Confiamos no nosso potencial de crescimento e de geração de valor para o ano de 2017. Por todas estas razões, reiteramos os nossos objetivos estratégicos de crescimento anual médio de vendas brutas de 7% e de geração acumulada de valor de caixa de operações de 750 milhões para o período de 2016-2018”, sublinha Ricardo Currás, Conselheiro Delegado do Grupo DIA.

De acordo com o Grupo DIA, em 2016, “o lucro líquido do grupo atribuído registou um decréscimo de 42% para os 174 milhões de euros, devido à ausência de extraordinários. Por sua vez, o EBIDTA ajustado situa-se nos 625 milhões de euros, um crescimento de 8,6% em moeda local.”

De acordo com Sánchez, “os anos anteriores foram muito difíceis, mas 2016 correu muito bem. Somos a primeira padaria e frutaria em Portugal, somos os que têm mais pontos de venda. Em 2016 encerrámos algumas lojas, mas abrimos outras. E vamos continuar a abrir novas lojas em 2017, estamos muito satisfeitos com o negócio em Portugal”. O Minipreço/Dia conta atualmente com 367 lojas próprias e 256 em regime de franchising no mercado nacional.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui