Franchising: o passaporte para o emprego?

Porto é o distrito prioritário na expansão das redes de franchising

O Porto é o distrito do país que os empreendedores e empresários de franchising consideram prioritário para a expansão das suas redes. De acordo com os dados do 22º Censo do Franchising 2016, realizado pela IFE – International Faculty for Executives e pelo ISCTE, o Porto reúne 6,7% das preferências nas intenções de expansão em franchising, seguindo-se Lisboa (6,4%) e Faro (6,1%).

Carlos Santos, Business Development Manager da IFE, explica que “na generalidade todos os distritos nacionais são áreas alvo de expansão. Ainda assim, mantém-se a tendência verificada nos últimos anos com o distrito do Porto a destacar-se.”

Por detrás desta tendência estão fatores como o facto de esta ser uma região altamente industrializada e o crescente aumento do turismo. “São todos estes fatores que justificam a maior aposta do franchising no Porto. A sua liderança económica, mas também o crescente fluxo de pessoas, conduz a uma maior aposta dos conceitos neste distrito. Não nos esqueçamos que, por exemplo, a rua de Santa Catarina é, desde há muitos anos, a rua mais movimentada do país e o fluxo aumentou 20% relativamente há 10 anos”, acrescenta Carlos Santos.

Em 2016, o franchising representou 2,79% do PIB nacional, com um volume de negócios de 5,2 mil milhões de euros e 117 450 postos de trabalho, que correspondem a 2,55% do emprego em Portugal.

Com 574 marcas a operar em Portugal em 2016, mais 36 do que no ano anterior, os serviços continuam a ser o principal setor no franchising em Portugal, representando 57,3% dos conceitos. O segundo setor mais representado é o Comércio com 29,4%, tendo subido 0,24%, revelando uma tendência de crescimento que acompanha a evolução a que se tem assistido nesta área de negócios no contexto económico nacional. Apurou-se também um crescimento de 1,24% no setor da restauração, ao qual pertence 13,2% dos negócios em franquia.

Para além disso, o estudo indica que em 2016, conceitos de baixo investimento continuaram a dominar no universo do franchising, com 47% a corresponderem a investimentos até 25 000 euros. No entanto, o escalão que mais cresceu foi o do investimento entre os 50 000 e os 100 000 euros, que passou de 12,6% em 2015 para 17,7%. Também aumentou em 2,7% a representatividade do nível de investimento situado entre os 100 000 e os 250 000 euros.

Importa referir que no próximo dia 21 de setembro o franchising ruma a Norte para mais uma edição do Porto Franchise, onde várias marcas apresentarão o seu modelo de negócio com o objetivo de angariar novos empresários para as suas redes.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui

(Visited 200 times, 1 visits today)