negocios infofranchising franchising

Vai investir no franchising? 4 tipos de franchisados com quem deve falar

Um das melhores coisas que pode fazer antes de decidir investir num conceito de negócio em franchising é falar com outros empreendedores que já estiveram na mesma situação, sobretudo, com aqueles que também já abriram um negócio em franchising. De acordo com a revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, falar com outros franchisados é de extrema importância para conhecer a realidade de um negócio, já que estes são a maior fonte de informação que um novo empreendedor precisa.

Segundo a revista brasileira, que cita a consultora especializada em retalho e franchising Angelina Stockler, existem quatro tipos de franchisados e é importante falar com todos eles.

1- Franchisado antigo

Os franchisados mais antigos da rede “são os melhores para ajudar o empreendedor a entender como será a evolução do seu relacionamento com o franchisador”. Como explica a publicação, ao início é, habitualmente, tudo fantástico, mas é nas situações de maior dificuldade que se percebe que tipo de apoio é que a rede está disposta a dar. Os franchisados mais antigos já terão passado por tudo isso e são os melhores para explicar como é que o seu franchisador procedeu.

2- Franchisado novo

Um novo franchisado, aquele que abriu a sua unidade há menos de um ano, é acima de tudo uma boa fonte de informação para entender que tipo de formação é oferecida pela rede durante o primeiro ano do negócio, aquele que é “o mais crítico” para um novo negócio.

4- Franchisados distantes da rede

De acordo com a revista, também é importante falar com aqueles franchisados que operam unidades longe da sede da rede. O objetivo deve ser entender quantas vezes é que um representante da rede procura visitar as unidades mais distantes e analisar o que precisa de ser melhorado.

4- Franchisados próximos da sede da rede

A publicação explica também que os novos franchisados devem falar com aqueles que detém unidades próximas da sede da rede e próximas de unidades próprias da marca. O objetivo deve ser entender se a marca trata esses franchisados como seus concorrentes ou se, por outro lado, presta o mesmo tipo de apoio e tratamento que a outros franchisados mais distantes.

“Existem franchisadores que canibalizam as unidades que estão à sua volta, por isso, é importante conversar com franquias que estejam na mesma cidade ou em municípios vizinhos do franchisador”, revela a consultora.

(Visited 89 times, 1 visits today)