4 em cada 10 empresas desaparecerão nos próximos cinco anos devido à transformação digital

Quatro em cada dez empresas irão desparecer do mercado nos próximos cinco anos devido à transformação digital. Esta é a principal conclusão do mais recente estudo do Centro Global para a Transformação Digital dos Negócios, uma iniciativa conjunta da Cisco e do International Institute of Management Development (IMD) de Lausanne, na Suíça. 

O relatório, intitulado ‘Digital Vortex: How Digital Disruption is Redefining Industries’, analisa o estado da transformação digital e das perspetivas para as organizações através de um inquérito realizado junto de 941 líderes de negócio de 12 sectores e 13 países, incluindo Austrália, Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Itália, Japão, México, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos da América.

Os resultados mostram que, nos próximos cinco anos, a transformação digital fará desaparecer do mercado cerca de 40% das atuais empresas em cada um dos 12 setores analisados. Contudo, 45% das empresas consultadas não consideram que a transformação digital deva captar a atenção dos organismos diretivos.  

Martin McPhee, vice-presidente Sénior da Cisco Consulting Services, explica que “cada cidade, país e negócio deverá transformar-se em digital para poder avançar e sobreviver na nova economia. O Centro Global para a Transformação Digital dos Negócios, que combina inovação e formação, servirá como plataforma para que os responsáveis possam descobrir os pilares da transformação digital – o quê, o como e porquê – e como garantir a sustentabilidade das suas organizações.”

A maioria dos executivos inquiridos considera a digitalização algo positivo para os negócios e para a sociedade. Assim, 75% dos consultados acreditam que a transformação digital é uma forma de progresso e 72% afirmam que otimiza o valor para os clientes, ao passo que 66% acreditam que tem benefício para as pessoas. Por sua vez, 43% reconhece o risco de disrupção digital ou não o mediu, enquanto apenas um em cada quatro (25%) define a sua abordagem à transformação digital como “proactiva”.

Entre os 12 sectores analisados no relatório, o de Produtos e Serviços de Tecnologia é aquele que tem maior potencial de mudança nos próximos cinco anos. Os sectores que geralmente se apoiam na análise de dados e nas redes tecnológicas para trocar estes dados de forma digital são os primeiros a apresentar potencial disruptivo, incluindo Media e Entretenimento, Telecomunicações, Serviços Financeiros e Retalho.

Mudanças no mercado

Em geral, os diretores das atuais empresas dos 12 sectores esperam uma mudança substancial como consequência da transformação digital nos próximos cinco anos, incluindo movimentos na quota de mercado. Ainda assim, quase um terço das organizações inquiridas adotaram uma postura observadora, para mais tarde imitar a concorrência que teve sucesso.

“Não só estão a mudar os modelos de negócio como também as cadeias de valor e as ofertas de produtos, pelo que a digitalização transforma os sectores e torna cada vez mais obscuros os limites entre eles”, refere Michael Wade, Diretor do DBT Center e Professor de Inovação e estratégia na escola IMD. “À medida que as indústrias se movem no sentido de um Vórtice Digital, os componentes físicos vão sendo descartados até ao ponto em que se inibem as vantagens competitivas. As entidades disruptivas com mais sucesso apoiam-se no que definem como ‘disrupção combinada’, que combina múltiplas fontes de valor – como custo, experiência e plataforma – para criar novos modelos de negócio disruptivos e benefícios exponenciais.”