contabilidade

42% das empresas portuguesas confessa nunca ter aplicado lei dos atrasos de pagamento

A maioria das empresas nacionais (56%) admite não estar familiarizada com a Diretiva Europeia dos Atrasos de Pagamento e 42% confessam nunca a terem aplicado. Falamos da iniciativa da Comissão Europeia que tem como objetivo resolver e reduzir os problemas causados pelos atrasos de pagamento.

Estes dados constam do ‘European Payment Report 2016’, um estudo realizado pela Intrum Justitia e que mostra que a maioria das empresas nacionais opta por não exercer o direito de cobrar, no mínimo, 40 euros por fatura mais juros em caso de atraso de pagamento em transações entre empresas e o setor público.

“Esta diretiva europeia foi transposta para a legislação nacional em 2013 [DL 62/2013], mas é ainda muito reduzido – apenas 5% -, o número de empresas que, tendo conhecimento dos direitos que a mesma confere, indicam que a aplicam sempre. Acreditamos que uma das razões que explica este fenómeno pode ser o receio das empresas em ferir relações comerciais ao exercerem os seus direitos”, refere Luís Salvaterra, diretor-geral da Intrum Justitia.

O mesmo estudo refere ainda que 75% das empresas portuguesas não notou qualquer impacto resultante da implementação da Diretiva Europeia dos Atrasos de Pagamento, enquanto apenas 7% reconhece que a medida contribuiu ativamente para uma redução dos atrasos.

O tema estará em debate no próximo dia 20 de fevereiro numa conferência organizada pelo Instituto Politécnico do Porto  – “Empresas Saudáveis – Como inspirar Pessoas e Organizações”.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui