8% dos retalhistas já utilizam tecnologias baseadas na localização

Segundo o site MyCustomer, um estudo recentemente divulgado pela Adobe mostra que apenas 8% dos retalhistas já estão a utilizar tecnologias baseadas na localização. Para além disso, um estudo da Airspace indica que os marketers responsáveis pelas estratégias de marketing dos retalhistas ainda sentem que precisam de mais informação acerca destas inovações e sobre como conduzir campanhas através destas novas tecnologias.

Os retalhistas estão familiarizados com os termos ‘beacons’, ‘proximidade’, ‘marketing baseado na localização’ ou ‘geo-targeting’, mas ainda assim querem saber mais informações sobre o marketing de proximidade e o surgimento de tecnologias que permitem comunicar com os clientes em loja através de dispositivos mobile que partilham a sua localização.

O estudo da Airspace revela aliás que 95% dos 1000 retalhistas entrevistados estariam mais dispostos a investir em ‘geo-targeting’ e marketing de proximidade se tivessem “mais conhecimento em relação a como conduzir uma campanha de marketing através destas tecnologias”.

O ‘geo-targeting’ no fundo não é mais do que transmitir conteúdos e informação a um cliente ou utilizador de plataformas online com base na sua localização geográfica. Exemplos de retalhistas que já utilizam esta tecnologia para oferecer promoções ou para sugerir produtos a um cliente que utilize um smartphone em loja já surgiram em todo o mundo, e a tendência deverá crescer.

“O ‘geo-targeting’, ou marketing de proximidade, já está a ser usado em Londres, com retalhistas a enviarem aos utilizadores dos seus websites ou aplicações anúncios à medida que estes passam pelas suas lojas”, refere Omer Artun, CEO da AgilOne.

Segundo a Airspace, 79% dos retalhistas planeiam implementar este tipo de estratégias nos próximos seis meses.