A Tua Fábrica faz produção própria

/images/textoimagens/fullsize/3226.jpg  Ensinar a fazer sabonetes, sais de banho, brindes empresariais ou lembranças de batizados e casamentos, entre outros tipos de ofertas personalizadas, é o objetivo de A Tua Fábrica.

 

"Pretendemos ‘franchisar' micro unidades de fabrico e comercialização, onde o franchisador passará todo o saber-fazer para o franchisado através de formação especializada", explica o sócio-gerente da empresa, Fernando Carvalho.

"Estas micro unidades têm como missão fabricar produtos desenhados ou criados pelo cliente", que pode escolher, dentro das 13 gamas disponíveis, cores, aromas, temas decorativos, formas, mensagens, embalagens, adereços decorativos, etc. Uma aplicação informática permite pré-visualizar as encomendas, que podem variar entre apenas 20 e 5000 unidades.

"O franchisado poderá fabricar e comercializar os produtos apresentados no site da Sabonarte mas, com a técnica adquirida, poderá vir a desenvolver outras peças e outras áreas de interesse", adianta o responsável. A Tua Fábrica não exige exclusividade, permitindo o desenvolvimento de outros projetos paralelos. No entanto, deve "construir ou estabelecer um estabelecimento industrial adequado para realizar a produção de produtos cosméticos", espaço esse que pode ser montado na própria habitação desde que cumpra determinadas condições (estabelecimento industrial do tipo 3, ou certificação equivalente).

 

Fornecimento de matérias primas

A marca garante o fornecimento das matérias-primas essenciais ao fabrico dos produtos e define um território para cada franchisado, como local de produção licenciado, não concedendo qualquer outra franquia nessa área. Segundo Fernando Carvalho, o franchisador ideal para este negócio são pessoas desempregadas, à procura de uma atividade que possam desenvolver a custo baixo e sem encargos mensais, ou que pretendem ter uma atividade complementar. Apesar de o primeiro objetivo ser a expansão da marca a nível nacional, "temos tido muita recetividade, nomeadamente Brasil, Angola, Cabo Verde e outros PALOP", adianta o responsável. "Estas unidades podem ser ‘exportáveis' para muitos países, até porque esta área de ‘manualidades tem uma enorme apetência e procura em todo o mundo".

O investimento inicial é 30 mil euros e inclui direito de entrada, formação, #stock# de matérias-primas inicial e aquisição de máquinas afetas ao projeto.

 

 

 

FONTE: NEGÓCIOS & FRANCHISING

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui

(Visited 73 times, 1 visits today)