ACL critica medidas do Governo e defende descida de IRS e IRC

A Associação Comercial de Lisboa defende uma baixa do IRS e do IRC e manifestou-se preocupada pela decisão do Governo de manter o seu peso em percentagem do PIB até 2017.

O Executivo divulgou recentemente a Estratégia para o Crescimento, Emprego e Fomento Industrial 2013-2020 para potenciar o crescimento económico. A ACL diz agora que este documento “passa ao lado de questões essenciais, peca pelo estilo teórico com soluções que muitas vezes são genéricas ou processos de intenção e teria sido mais útil se tivesse sido apresentado mais cedo, nomeadamente no início da legislatura”.

A estratégia definida pelo Governo para relançar a economia, fixa como meta um crescimento sustentável da economia nacional acima de 2% ao ano, em 2020, com as exportações a representar 50% do PIB, nesse ano. Em linhas gerais as medidas propostas pretendem criar bases para o crescimento económico assente em pressupostos fundamentais como a reindustrialização, investimento e exportações.

A Associação Comercial de Lisboa diz ainda, no que respeita ao investimento, que faltou ao Governo “dar uma maior ênfase à importância da reforma da justiça, designadamente na perspetiva económica, que irá facilitar a captação de investimento.” A associação aplaude no entanto as medidas com vista à internacionalização, que diz irem “no bom sentido, nomeadamente na questão da diplomacia económica e da ligação às associações empresariais.”

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui