Aluno do IADE cria caneta para invisuais

Filippo Fiumani, jovem italiano que estuda Design de Produção no IADE, em Lisboa, desenvolveu o protótipo de uma caneta que cria traços em relevo em superfícies de papel. Apelidada de “Le mani”, a caneta permite que um deficiente visual possa perceber através do toque o que está a desenhar. 

A ideia surgiu após o estudante ter constatado que não existe no mercado um instrumento específico que permita aos invisuais expor a sua vertente criativa com perfeita noção da obra que está a ser criada.

Filippo Fiumani realizou vários protótipos até chegar ao produto final. Para um desses estudos, o jovem italiano desenvolveu um projeto de arte urbana tendo por base bananas. O estudante do IADE constatou que sem recurso a tinta era possível utilizar a caneta para desenhar no fruto e dessa forma criar diferentes projetos de arte urbana. As bananas foram, posteriormente, penduradas e espalhadas pelas ruas e diferentes espaços (como supermercados) da cidade de Lisboa.