Apenas 30% das mulheres europeias trabalha em TI

A Universidade Portucalense (UPT) realizou recentemente um estudo que revela que apenas 30% das mulheres europeias exerce atividade profissional na área das tecnologias de informação.

“Apenas 29 em cada mil mulheres com um curso superior na Europa têm um diploma na área das tecnologias e desse número apenas 5 trabalham no setor dos STI”, revela Filomena Lopes, diretora do departamento de Economia, Gestão e Informática.

Segundo aquela responsável, o facto de em Portugal não existirem disciplinas daquela área de conhecimento no ensino secundário, também, contribui para o pequeno número de mulheres que frequentam os respetivos cursos superiores.

Para contrariar este fenómeno, a UPT vai lançar o 3º Concurso de Programação no Feminino, destinado a seis alunas pertencentes a seis escolas da região Norte do país. Em simultâneo com esta iniciativa, a Universidade Portucalense irá realizar a 11ª edição Concurso de Programação da UPT.