Cinco passos para abrir uma franquia

Abrir um negócio em regime de franchising implica mais do que aderir a uma marca e esperar que o apoio prestado pelos franchisadores seja o suficiente para ser bem-sucedido. A Associação Brasileira de Franchising reuniu recentemente as dicas de especialistas de franchising e explica que existem cinco passos essenciais para abrir um negócio em franchising.

Perfil do franchisado

Antes de escolher a marca na qual quer investir, seja minucioso na análise do negócio e tente perceber se é a opção ideal para si. Ser franchisado exige alguma disciplina e nem sempre é fácil sair da rede se a escolha for, afinal, a errada.

Ana Vecchi, diretora de consultoria da empresa Vecchi Ancona, explicou à associação que o modelo de franchising não é de facto a melhor opção para pessoas que desejam, sobretudo, ser independentes. “Se o empreendedor quer ser ‘dono do seu próprio nariz’, o franchising não é para ela. Os franchisados que fogem ao padrão são punidos, inclusive com multas”, refere.

Setor de negócio

Muitos empreendedores caem também no erro de achar que o que lhes dá prazer é o que lhes trará o sucesso, mas de acordo com Diego Simioni, consultor de franquias da empresa GoAkira, “é extremamente importante que não se confunda deslumbramento com um produto com a operação de gerir um negócio no dia-a-dia. Não basta gostar do produto, é preciso ter aptidão.”

Análise do mercado

Para além daquilo que lhe é dito pela rede de franchising, é importante que procure informar-se da realidade do negócio. Os números apresentados pelas marcas são, muitas vezes, uma forma de conquistar novos franchisados e nem sempre espelham as dificuldades. Conhecer o mercado onde se vai atuar num novo negócio é fundamental.

Satisfação de outros franchisados

Antes de tomar a decisão, oiça outras pessoas que também já apostaram no modelo de negócio que pretende escolher. “O segredo é averiguar se tudo o que foi ‘vendido’ pelo franchisador é verdade. Fazer um cruzamento do que é falado entre o franchisador e os franchisados é o melhor barómetro”, defende ainda Ana Vecchi.

Ter noção dos custos reais do negócio

É verdade que o modelo de negócio já estará pronto quando pegar nele, mas o tempo de retorno do investimento e o capital verdadeiramente investido deve ser previsto com a maior exatidão possível. Tente colocar no papel as suas perspetivas de faturação e de gastos fixos e prever ao máximo as necessidades do negócio.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui