Clima económico mundial revela ligeira melhoria

O Indicador de Clima Económico Mundial do Ifo ( World Economic Climate Indicator) revela um aumento marginal em ambas as avaliações da situação económica atual e das perspetivas económicas a seis meses, quando comparadas com o trimestre anterior. 

Conduzido em cooperação com a Câmara de Comércio Internacional (CCI), o “Ifo World Economic Survey” (WES) analisa as tendências económicas mundiais através de sondagens feitas a organizações nacionais e transnacionais de todo o mundo, sobre os desenvolvimentos económicos atuais nos seus respetivos países.

Se, por um lado, o indicador de clima económico sobe apenas ligeiramente na Europa Ocidental e na América do Norte, na Ásia verifica-se uma subida abrupta. Graças a avaliações e perspetivas da situação económica muito mais otimistas, o indicador para o continente asiático atingiu o seu nível mais alto desde finais de 2010. Na América do Norte, as avaliações da situação económica atual estão ligeiramente melhores mas continuam abaixo do nível normal.

Os especialistas abordados neste estudo mantêm-se otimistas relativamente às perspetivas económicas a seis meses, embora num grau um pouco menor em relação ao último trimestre. Na Europa Ocidental a situação económica continua desfavorável.

As estimativas da inflação média mundial para 2013 caíram ligeiramente de 3,3% para 3,2%. Os especialistas do WES acreditam que as taxas de juro a curto prazo se mantenham praticamente inalteradas ao longo dos próximos seis meses, enquanto nas taxas de juro a longo prazo se possa verificar um pequeno aumento. Baseando-se na média mundial, os especialistas económicos esperam um aumento moderado do valor do dólar dos EUA ao longo dos próximos seis meses.

Jean-Guy Carrier, Secretário-Geral da CCI, congratulou-se com os resultados do estudo mas alertou para o excesso de confiança. “A tendência contínua de crescimento económico verificada de trimestre a trimestre é motivo para otimismo mas os governos e as empresas devem continuar a manter esta dinâmica positiva”, defendeu Carrier.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui