Consciência social pode ajudar a atrair o melhor talento

Consciência social pode ajudar a atrair o melhor talento

Os departamentos de Recursos Humanos são, mais do que nunca, pressionados a encontrar estratégias para atrair e reter o melhor talento, e com a maioria das empresas a não conseguirem aumentar salários torna-se importante encontrar outras novas formas de gerar engagement com os colaboradores. Mas e se para atrair talento de topo a única coisa que tivesse que mudar fosse a sua consciência social?

Marco Barbosa, fundador da eSolidar, foi o único português a integrar a lista 30 Under 30 para a Europa, na categoria de empreendedorismo social, da revista Forbes, e criou uma plataforma tecnológica que liga as empresas a instituições sociais com o objetivo de ajudar as organizações a melhorarem as suas políticas de Responsabilidade Social Corporativa e ao mesmo tempo criar engagement com as equipas.

De acordo com o português, quando em causa estão trabalhadores da ‘geração do Milénio’, a retenção e atração de talento vai muito além de questões salariais ou condições de trabalho flexíveis. A perceção de que uma empresa não tem consciência social pode estar a afastar os melhores candidatos.

“Corrupção financeira, escândalos de Marketing e desastres ambientais parecem ter-se tornado um lugar comum nos últimos 10 anos – a maioria da vida adulta dos Millennials. Esta geração procura algo novo, e bom, para fazer parte”, defende o empreendedor social.

São já muitas as empresas que perceberam o impacto que as políticas de Responsabilidade Social Corporativa podem ter nos resultados globais, mas poucas as que as veem como uma forma de atrair e reter talento e como parte de uma estratégia de Employer Branding.

Um estudo recentemente publicado pela PwC mostrava isso mesmo, com 64% dos CEO de empresas a revelarem que esse tipo de políticas são essenciais no negócio e apenas 29% a referir que utilizam esse tipo de políticas para atrair talento.

Marco Barbosa diz ainda que é importante que as empresas realizem inquéritos para perceber o que motiva os seus colaboradores e que causas sociais apoiam, seja através de voluntariado ou donativos.

Fazê-lo poderá ajudar as organizações a entender qual o verdadeiro propósito de cada um dos seus colaboradores e, assim, implementar políticas de Responsabilidade Social Corporativa com impacto e que permitam, a longo prazo, atrair o melhor talento.

(Visited 85 times, 1 visits today)