Consumidor do futuro domina a tecnologia e gosta de lojas físicas

Consumidor do futuro domina a tecnologia e gosta de lojas físicas

Um estudo da  consultora CBRE revelava que o consumidor europeu do futuro vai querer “tocar e sentir” os produtos antes de os comprar, utilizará a tecnologia mais avançada e procurará experiências de entretenimento nos centros comerciais.

O estudo “How We Shop – The Changing Face of Europe’s Consumer”, indica ainda que são as gerações mais jovens que preferem visitar as lojas para tocar os produtos, com 86% dos jovens adultos (16-24 anos) a defenderem que a loja física é importante para o processo de compra online.

Simultaneamente, esta faixa etária está muito mais familiarizada com a tecnologia digital do que as faixas etárias mais avançadas e a probabilidade de usar blogs ou redes sociais para avaliação de produtos ou comparação de preços é maior. O inquérito, que registou a opinião de 10 000 pessoas de 10 países europeus, revela também que os jovens adultos são os consumidores mais assíduos em todas as localizações e métodos, incluindo online, centros comerciais e comércio local.

O consumo local está a tornar-se cada vez mais importante, em particular para os jovens adultos que visitam lojas locais para compras de moda, em média 19 vezes por ano. Os jovens adultos também compram com muita frequência nos centros comerciais urbanos ou nas lojas de rua em zonas prime devido à facilidade de acesso e à reduzida percentagem da população com automóvel.

Peter Gold, Diretor do Departamento de Cross-Border Retail da região EMEA da CBRE, refere que “os consumidores podem agora usar dispositivos móveis para aceder a códigos de descontos, usar os sites de redes sociais para partilhar opiniões, fazer comparações de preços e até fazer encomendas online em centros comerciais. Estas ferramentas só estão sedimentadas entre os consumidores jovens que começam a usar a tecnologia para pesquisar potenciais compras ou encontrar o melhor preço. Estes consumidores conhecem e esperam qualidade, mas não estão dispostos a pagar preços demasiado altos.”

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui

(Visited 97 times, 1 visits today)