Consumo das famílias com ligeiro crescimento no primeiro trimestre

O consumo das famílias portuguesas cresceu nos primeiros três meses deste ano. De acordo com os dados divulgados esta semana pelo INE, como o aumento da despesa de consumo foi de 0,6% e o rendimento disponível cresceu 0,5%, houve uma quebra na taxa de poupança, que passou a corresponder a uma fatia de 6,8% do valor desse rendimento disponível.

Os números do INE mostram que o valor da poupança corrente das famílias portuguesas era de 8412 milhões de euros nos 12 meses terminados em março. Já o rendimento disponível passou de 122 184 milhões no último trimestre de 2014 para um total de 122 826 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, aumento que o INE atribui “ao crescimento das remunerações recebidas” e, “em menor grau, aos juros pagos pelas famílias terem diminuído 6,5%”.

Já a capacidade de financiamento das famílias diminuiu para 2,3% do PIB no ano acabado no primeiro trimestre de 2015. “Para este resultado contribuiu sobretudo a redução da poupança corrente, traduzindo um aumento da despesa de consumo final (taxa de variação de 0,6%), 0,1 pontos percentuais superior ao aumento do rendimento disponível”, explica o Instituto Nacional de Estatística.