Dar a volta em franchising

Quando se fala com franchisados que já tinham empresas na mesma área antes de se juntarem a uma rede, todos consideram que aderir a um franchising foi uma boa opção, mesmo os que admitem que o negócio não está a correr de acordo com as expectativas. As principais vantagens são a imagem, organização, procedimentos, ferramentas, publicidade ou marcas disponíveis.

“O franchising é uma forma de podermos iniciar um projeto já com 50% do trabalho feito faltando, no entanto, os outros 50% são os mais trabalhosos, pois trata-se de angariar os clientes e colocar a ‘máquina’ a mexer. No entanto, é uma boa opção”, defende Rui Sousa. O franchisado da Esinow de Almeirim, Matosinhos e Penafiel frisa ainda que “quando se adere a um franchising muitas pessoas pensam que está tudo feito e que os clientes nos vão entrar porta dentro sem fazermos nada, é errado pensar assim. O franchising traz-nos muitas ajudas, mas há trabalho, essencialmente comercial, a fazer”.

No mesmo sentido vai o alerta de Agostinho Gonçalves, da Charib do Funchal: “é sempre importante referir que não existem soluções milagrosas e que é errado pensar que aderir a um franchising substituirá todo o trabalho que certamente já desenvolve na sua empresa”.

Veja a reportagem completa na edição de abril/maio da revista NEGÓCIOS & FRANCHISING.