É preciso reinventar o conceito de consumidor da terceira idade

“Há que mudar a mentalidade, incluir as pessoas mais velhas na sociedade…É preciso reinventar o conceito de terceira idade”, esta é uma das conclusões de um estudo organizado pela consultora 40+ Lab e apresentado por Ana João Sepúlveda, uma das responsáveis da empresa, no 2º Congresso do Fórum do Consumo que se realizou esta quarta-feira, dia 16 de abril.

A responsável adiantou ainda que será criado, em breve, um novo selo “Escolha do Consumidor Sénior” que pretende estimular as marcas portuguesas a ajudarem “a integrar os seniores”.

De acordo com a consultora o consumidor sénior pretende “ser visto como um consumidor normal, integrado na sociedade e ser economicamente ativo, através do consumo e querem consumir, ter saúde e bem estar, e sentir que envelhecer é normal”.

A redescoberta

Entre outras ideias, e de acordo com Ana João Sepúlveda irá começar a existir um novo tipo de consumidor nos séniores como “as novas jovens”, mulheres viúvas, ou sem filhos ou com filhos fora do seu encargo que voltarão a namorar, a consumir maquilhagem, a vestir outro estilo de roupa mais jovem, “o que vai obrigar a industria do têxtil a mudar um pouco as suas estratégias”.

Há contudo alguns problemas que as marcas devem contornar, uma vez que ser velho não é aspiracional e existem algumas limitações físicas que, também aí se podem tornar oportunidades de desenvolvimento de novos produtos por parte das marcas.

A consultora dedicada para mais de 40 anos tem como missão Contribuir ativamente para que as empresas tirem o maior partido da nova configuração sócio demográfica portuguesa e mundial, onde as pessoas com 40 ou mais anos já são a maioria da população.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui