Empreendedores devem ser “intervenientes na retoma da economia”

Emídio Gomes referiu ainda que para viabilizar “o forte contributo direto da economia regional” existem “uma estratégia regional de especialização inteligente” e uma proposta de Programa Operacional Regional, de quase 3,3 mil milhões de euros.

A proposta de Programa Operacional Regional do Norte 2014/2020, que a CCDRN tenciona “operacionalizar tão breve quanto possível”, dá particular atenção às micro e PME da região. De acordo com Emídio Gomes, estas podem aceder diretamente a uma fatia relevante dos apoios previstos para a “promoção do espírito empresarial” e o “desenvolvimento de produtos e serviços”.

A conferência contou ainda com António Murta, da Pathena, que procurou responder à questão “Que futuro sustentável do mercado de trabalho mundial?”. Eric Ezechieli, ativista social da ONG Nativa, também presente na conferência, sublinhou que é “urgente reinventar a nossa cultura”, tomando como base os progressos tecnológicos que garantem mais segurança e rapidez em todos os domínios.

Ramón Arratia, diretor de sustentabilidade da multinacional Interface, referiu também neste evento que “o consumidor e a opinião pública estão a interiorizar mais rapidamente as vantagens da sustentabilidade do que as empresas, que terão de passar rapidamente do ‘velho paradigma’ da ‘sustentabilidade corporativa’, que propicia pouco mais do que ganhos de imagem e de reputação, para o ‘novo paradigma’: o do primado do ‘produto sustentável’.”