Empresa nacional aposta no mercado de luxo

Dois empreendedores portugueses, Ricardo Cruz e Miguel Mendes, lançaram no mercado a chave mais valiosa do mundo. Batizada “Elizabeth”, trata-se de uma edição limitada de 12 peças compostas por 1 561 diamantes, ouro branco e platina que custa 100 mil euros.

A ATZ, empresa de ferragens onde trabalham os empreendedores, recebeu a proposta por parte de Hans Aalbers, um designer holandês que desenhou a chave e que necessitava de um parceiro que a quisesse lançar no mercado. Com o objetivo de apostar no mercado de luxo, que está em expansão, a empresa nacional decidiu avançar com o projeto.

Os criadores do artigo garantem que esta chave consegue “abrir quase tudo”, exceto carros, devido ao seu canhão. O artigo não vai ser vendido em Portugal e destina-se a exportação para áreas em que este mercado de ‘excentricidades’ é mais viável, como a América do Norte e do Sul e o Médio Oriente. A chave já conta com um interessado, um multimilionário da Arábia Saudita que se prepara para adquirir uma destas chaves para abrir a porta de casa e usá-la como porta-chaves do seu Ferrari.