Exportações para Angola em risco

A nova pauta aduaneira, que entrará em vigor em janeiro de 2014, “terá consequências imediatas nas exportações portuguesas para o mercado angolano.” Quem o diz é Carlos Bayan Ferreira, presidente da direção da Câmara de Comércio e Indústria Portugal-Angola, que considera também que as exportações lusas “estão em risco.”

Segundo o responsável em declarações ao jornal Sol, esta decisão tem como objetivo proteger a indústria angolana através do aumento das taxas de importação para os produtos importados, cuja produção nacional tem capacidade de atender às necessidades do mercado. Ou seja, atinge principalmente os concorrentes diretos dos produtos feitos em Angola, como é o caso da cerveja.

Carlos Bayan Ferreira alerta ainda que se deve ter atenção ao aumento das taxas de importação a determinados produtos para que não haja rutura de stocks ou insuficiência no abastecimento.

O presidente da direção da Câmara de Comércio e Indústria Portugal Angola acredita ainda que o desenvolvimento da indústria em Angola vai passar pela criação de parcerias com empresas portuguesas especializadas, detentoras de tecnologia e conhecimento, interessadas em desenvolver projetos de médio e longo prazo. Segundo o responsável, o interesse de empresas portuguesas vai crescer, à medida que o Governo for lançando projetos para o desenvolvimento da economia.