Fundação Ronald McDonald assinala 15 anos de existência

A Fundação Infantil Ronald McDonald (FIRM) comemorou no passado dia 2 de março o seu 15º aniversário em Portugal. Ao longo destes 15 anos, a FIRM, juntamente com os seus parceiros, conseguiu concretizar dois grandes projetos: a criação da Casa Ronald McDonald de Lisboa, inaugurada em junho de 2008, e da Casa Ronald McDonald do Porto, inaugurada em novembro de 2013.  

As Casas Ronald McDonald são os principais projetos da Fundação Infantil Ronald McDonald. A ideia subjacente a estas Casas é “proporcionar “uma casa longe de casa” às famílias mais carenciadas das crianças em tratamento hospitalar. Funcionam 365 dias por ano, 24 horas por dia, e estão preparadas para receber, em simultâneo, dez famílias em Lisboa e doze famílias no Porto, tendo a arquitetura sido pensada para as famílias com crianças doentes”, explica a fundação em comunicado.

A Casa Ronald McDonald de Lisboa, situada a cinco minutos do Hospital D. Estefânia, acolhe os familiares das crianças que se deslocam da sua residência habitual para receber tratamento hospitalar nas Unidades de Saúde Pediátrica do Centro Hospitalar Lisboa Central (Hospitais D. Estefânia, Capuchos, Santa Marta e Maternidade Alfredo da Costa). São os Serviços Sociais destes hospitais que identificam e encaminham as famílias para a Casa. A Casa Ronald McDonald do Porto, situada no perímetro do Hospital de S. João, recebe as famílias encaminhadas pelos serviços sociais do Centro Hospitalar S. João – Pólo Porto e do IPO-Porto.

João Sá Nogueira, Diretor Executivo da Fundação Infantil Ronald McDonald, refere que “é com grande orgulho que assinalamos o 15º aniversário da Fundação Infantil Ronald McDonald, que tem percorrido um caminho de mudança e de crescimento na companhia de amigos e parceiros que ajudaram a Fundação a concretizar, entre outros projetos, aqueles de que mais nos orgulhamos: as Casas Ronald McDonald de Lisboa e do Porto, Casas que são uma alternativa digna para as famílias com dificuldades várias de foro emocional, social ou financeiro e que podem encontrar nestas “casas longe de casa” o apoio que necessitam.”