Gestores nacionais das PME não apostam na contratação de profissionais de TI

35% dos gestores das PME nacionais preveem investir cerca de 150 mil euros em TI até ao final deste ano, no entanto, apenas 46% pretende recrutar nesta área. A conclusão é do 2º Barómetro Grenke, que inquiriu 100 gestores de PME nacionais e que indica que 55% dos inquiridos prevê investir no reforço tecnológico da sua empresa ainda este ano.

No que diz respeito ao valor do investimento, 35% revela que prevê investir até cerca de 150 mil euros, 17% pretende investir até 75 mil euros e 12% não prevê investir mais do que 50 mil euros.

“Apesar do papel atribuído às TI no contexto do desenvolvimento dos seus negócios, a inclusão de recursos humanos especializados nas empresas não é considerada uma prioridade estratégica pelos gestores nacionais (56%)”, indica o estudo.

Para além disso, dos gestores nacionais que acreditam na importância de recrutar quadros especializados em TI, cerca de 54% não prevê a contratação deste tipo de profissionais até ao final deste ano.

TI consideradas ‘chave’ para a internacionalização das PME portuguesas

O barómetro indica também que para 63% das PME inquiridas, as tecnologias de informação desempenham um papel “muito importante” ou “extremamente importante” no acesso a novos mercados.

Ainda assim, 16% dos inquiridos não atribuem às TI qualquer importância no processo de internacionalização das empresas portuguesas.