Multiexpress, marca low-cost da Cheviarte, quer expandir para o interior

Multiexpress, marca low-cost da Cheviarte, quer expandir para o interior

A Multiexpress é um novo conceito low-cost da Chaviarte pensado sobretudo para o interior do país. “É um conceito onde se procurou adaptar as necessidades mínimas para este negócio funcionar. A preocupação foi encontrar um equipamento funcional com o mínimo de custos possível e foi pensado para alargarmos este tipo de lojas ao interior do país”, refere o diretor comercial, António Correia.

A este novo modelo foi retirada alguma vertente tecnológica, contudo mantêm-se serviços como a reparação de calçado e a duplicação das chaves e para compensar foram adicionados outros pequenos serviços, como o envio de faxes.

“Com este novo conceito, o objetivo é tentar também reformular o antigo sapateiro que ainda existe no interior, trazer-lhe novos conhecimentos, mas com um grande de simplicidade que ele possa absorver”, afirma o responsável. No fundo, “um conceito mais simples e com um custo inferior”.

O investimento numa loja Multiexpress é de 22500 euros, o que inclui o stock inicial, os móveis e as máquinas necessárias.

O objetivo é chegar onde a Chaviarte não está presente: ao interior do país. A primeira loja foi aberta em Viseu, sendo que António Correia mostra-se satisfeito com esta nova experiência.

O empresário adianta que procuram essencialmente franchisados que queiram criar o autoemprego. “Com alguma aptidão para bricolage e que vá estar a tempo inteiro ou, pelo menos, a tempo parcial na loja”, salienta.

Para além da formação inicial, a marca garante um apoio permanente que funciona diariamente e formação técnica todos os anos. Aliás, “o franchisado a nível de back-office não tem de tratar de nada, só tem de se preocupar com as vendas”, revela.

A situação que o país vive e a falta de crédito que existe na banca, faz a marca ser mais modesta nos objetivos. “Estamos aguardar os apoios que governo venha a dar na criação de postos de trabalho. Ensinamos duas profissões: sapateiro e técnico de chaves e fechaduras e essa parte é muito bem recebida pelos centros de emprego”, confessa.