Marketing olfativo começa a ganhar espaço no retalho

O marketing olfativo está cada vez mais presente no setor do retalho, com muitas insígnias a aderirem à tendência e a começarem a compreender a força dos cheiros na venda de um produto. De acordo com a revista infoRetail, uma utilização adequada das ferramentas de marketing olfativo pode levar a um aumento nas vendas e até a um incremento no tempo de permanência do cliente no ponto de venda.

Sandra Iruela, engenheira química, explica à revista que “se o aroma for agradável as pessoas, inconscientemente, estarão mais tempo na loja porque se sentem bem, e estar mais tempo em loja aumenta a probabilidade de compra.”

A especialista explica que o marketing olfativo aplicado no retalho não se trata apenas de criar uma experiência olfativa que leve a um aumento nas vendas, mas também criar um cheiro suficientemente diferenciador que leve o cliente a associar um aroma com uma marca em específico.

“As tendências para o futuro apontam que as lojas vão ser reconhecidas por um cheiro corporativo único e exclusivo, como uma imagem corporativa da marca”, explica.

Neste campo existem já algumas inovações, como marcas de roupa para crianças que possuem nas suas lojas uma fragrância a “algodão doce, morango ou baunilha”, cheiros que, de acordo com Sandra Iruela, são tendência no segmento.

Já nas lojas de moda para jovens a tendência parecem ser “odores frescos e cítricos, mas também cheiros doces e com um toque de baunilha. Por outro lado, nas lojas de moda clássica a fragrância deve ser sofisticada e sedutora, com notas florais combinadas com madeira”, conclui.