número de empresas em crescimento

Nasceram 20 377 empresas no primeiro semestre do ano

Nos primeiros seis meses deste ano foram criadas em Portugal 20 377 empresas. Os números são do Barómetro Semestral da Informa D&B, que analisa nascimentos, encerramentos, insolvências e o comportamento do tecido empresarial, e revelam que no primeiro semestre do ano nasceram em média 147 novas empresas por dia, uma quebra de 4,0% face ao período homólogo.

Por outro lado, nos primeiros seis meses deste ano encerraram 6 708 entidades, um crescimento de 1,2% face ao ano passado e uma média de 66 encerramentos por dia.

“Nos últimos 12 meses, a relação entre a constituição de novas empresas e encerramentos é de 2,2 (ou seja, por cada uma que encerra há 2,2 que iniciam atividade), valor ligeiramente mais baixo do que o registado no ano de 2015 (2,4). Apesar dos números totais do final do primeiro semestre registarem uma descida nos nascimentos de novas empresas e outras organizações, este indicador não apresenta uma tendência estável”, indica o estudo.

Lisboa continua a ser o distrito que regista o maior número de nascimentos de novas empresas e outras organizações, com mais 278 constituições (+4,7%) do que nos primeiros seis meses de 2015. Com tendência oposta, o distrito do Porto viu o número de constituições cair em 6%. As insolvências, por sua vez, desceram em quase todos os distritos e setores, com uma quebra total de 24% face ao mesmo período de 2015.

O setor das atividades Imobiliárias foi um dos que mais se destacou nos primeiros seis meses deste ano, “ao registar o maior crescimento em nascimentos de empresas (31%) face ao mesmo período de 2015. Entre 1 de janeiro e 30 junho nasceram 1 452 empresas neste setor em Portugal, mais 344 das que foram constituídas em igual período do ano passado.”

Por outro lado, os setores que mais contribuíram para a quebra dos nascimentos de empresas foram o Retalho (-415), Agricultura, Pecuária, Pesca e Caça (-277) e os Serviços (-230).

“O setor do Alojamento e Restauração, apesar da subida em novas empresas, é também o que regista o segundo maior crescimento de encerramentos (em valor absoluto), mostrando uma dinâmica de renovação nesta atividade”, acrescenta o estudo.

Segundo Teresa Cardoso de Menezes, diretora geral da Informa D&B, “o empreendedorismo mostra-se cada vez mais relevante, até pelas suas consequências diretas em indicadores essenciais como o emprego. De acordo com o nosso estudo ‘Onde nasce o novo emprego em Portugal’, as empresas jovens (até aos cinco anos) são responsáveis por 46% do novo emprego criado entre 2007 e 2014, com as startups (empresas com menos de 1 ano) a criarem 18% deste novo emprego”.

 

(Visited 26 times, 1 visits today)