O papel do conflito na colaboração

O papel do conflito na colaboração

O conflito não tem de ser, necessariamente, uma coisa má. Elisabet Vinberg Hearn, especialista em impacto e liderança estratégica, diz que muitos conflitos acabam por conduzir às maiores inovações.

Num artigo de opinião recentemente publicado na plataforma HR Zone, a especialista diz que “o conflito é apenas uma diferença de opinião, o que é uma enorme força crítica, se for vista e utilizada dessa forma”.

“Quando estamos a trabalhar para ser mais colaborativos, o que todos temos de fazer para sobreviver e sermos bem-sucedidos neste mundo em constante mudança, não devemos apenas tentar acompanhar outros, mas sim tentar estar à frente e fazer da colaboração algo crucial”, diz Elisabet Vinberg Hearn.

“Os conflitos desempenham um papel importante na colaboração. A colaboração não significa apenas darmo-nos todos bem e que tudo seja conduzido de forma tranquila. Significa que precisamos de conflito para desafiar a nossa forma de pensar e para sermos criativos e inovadores”, defende.

A especialista em liderança acrescenta ainda que as equipas e organizações com maior sucesso são aquelas que abraçam as diferenças, independentemente da forma como são manifestadas: background, experiência, personalidade, cultura, etc. Elisabet Vinberg Hearn termina referindo que a prova de que o conflito é tão importante na colaboração é que:

  • Leva à abertura de pensamento. Se todos pensam da mesma forma, ninguém está a pensar;
  • Permite desafiar as ideias estabelecidas;
  • Permite criar novas soluções para problemas antigos;
  • Permite inovar.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui