Portugal continua a descer no ranking mundial de competitividade

Portugal desceu dois lugares no ranking mundial de competitividade do World Economic Forum, estando agora no 51º lugar.

Como pilares com maior peso na queda de Portugal no ranking, o relatório do WEF destaca a Dívida Pública, o Acesso ao Financiamento, o Incentivo ao Investimento, a Burocracia, a Carga Fiscal, a Solidez dos Bancos, a Instabilidade Política, a Política Fiscal e a Legislação Laboral.  

O ranking mundial de competitividade coloca a Suíça no lugar cimeiro pelo quinto ano consecutivo, seguida da Singapura e da Finlândia. A Alemanha subiu dois lugares e está agora na quarta posição antecedendo os Estados Unidos da América que é o quinto país mais competitivo.

De acordo com o índice do WEF, os Estados Unidos da América continuam a ser o país líder no que diz respeito á introdução de serviços e produtos inovadores no mercado. A sua subida no ranking deve-se à melhoria do mercado financeiro do país e ao aumento do nível de confiança nas instituições públicas.

Na Europa, os esforços para resolver a dívida pública e evitar a queda do Euro desviaram a atenção dos decisores políticos de questões ligadas à competitividade. De acordo com o relatório agora divulgado, países da Europa do Sul como Espanha, Itália, Portugal e Grécia precisam de continuar a trabalhar no sentido de aumentar a aposta na inovação.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui