Portugal em condições de fazer negócios no Irão

O governador da província de Teerão, Hossein Hashemi, acredita que Portugal é um dos países europeus com “melhores condições” para fazer negócios no Irão, aproveitando as oportunidades geradas com o fim do embargo internacional ao país.

A opinião foi transmitida ao presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP) durante a audiência que o governante iraniano lhe concedeu antes do seminário internacional sobre “Desenvolvimento económico e oportunidades de investimento na província de Teerão”, que até ao fim do dia de hoje (17 de novembro) está a decorrer na capital do país.

Paulo Nunes de Almeida, presidente da AEP, está em Teerão desde sábado, à frente da primeira missão empresarial portuguesa depois de levantado o embargo comercial ao país, em julho, na sequência do acordo celebrado entre o Governo da República Islâmica do Irão e as grandes potências mundiais, em que ficou assegurada a natureza pacífica do programa nuclear iraniano.

“Portugal continua a ser um país respeitado e a ter uma boa imagem junto das autoridades iranianas”, refere Paulo Nunes de Almeida, que avalia como “muito positiva” esta incursão comercial de 15 empresas de vários sectores a Teerão. “Há uma série de negócios que ficam esboçados para quase todas as empresas participantes”, defende.

 “Os nossos objetivos foram atingidos e é provável que voltemos em abril do próximo ano, com estas e com outras empresas que se nos queiram juntar, aquando de uma feira de construção em que a AEP irá participar. As empresas que vieram conhecem hoje mais a fundo a economia e o quadro legal em vigor no Irão e, estou certo, levam daqui propostas sérias para serem estudadas e trabalhadas”, salienta Paulo Nunes de Almeida.

Com o fim do embargo, o presidente da AEP “não vê motivos para que permaneçam os entraves ao incremento das trocas comerciais bilaterais e que não se reforcem as relações institucionais entre os dois países. É para isso que a AEP e a Câmara de Comércio e Indústria, Minas e Agricultura do Irão vão trabalhar”.

Nesta missão empresarial estão representadas empresas industriais e de serviços que operam nas áreas da metalomecânica, materiais de construção, têxtil e vestuário, serviços de engenharia, energia, consultadoria especializada, cabos elétricos e telefónicos, produtos químicos, eletrodomésticos e máquinas-ferramenta.