Portugueses vão poupar ainda menos em 2013

Em 2013 os consumidores portugueses não vão conseguir reunir poupanças e vão poupar menos do que em 2012. Os dados são da sondagem Investment Barometer da Gfk, que mostram ainda que o pessimismo dos portugueses em relação ao futuro acentuou.

Os consumidores da Alemanha, Suécia, Reino Unido e Holanda, por sua vez, consideram que a evolução das poupanças não vai ter grandes alterações e acreditam que vão conseguir manter o seu nível de poupança. Já os consumidores dos EUA consideram que vão poupar ligeiramente mais em 2013 face ao que pouparam em 2012.

Atualmente, os investimentos dos portugueses são feitos maioritariamente em produtos bancários. As contas à ordem lideram as escolhas dos inquiridos, com 89 %, seguindo-se as contas a prazo (32 %) e os investimentos em imobiliário (23 %)

Segundo os dados obtidos nesta sondagem realizada em novembro de 2012, os produtos que os portugueses consideram mais atrativos para investir no futuro são as casas/bens imobiliários (55 %), uma tendência comum à maioria dos europeus, seguido de ouro (52 %) e as contas a prazo (50 %).

Os dados do Investment Barometer da GfK indicam que a crise deteriorou a confiança dos cidadãos portugueses relativamente a algumas instituições. Quando inquiridos sobre a confiança que depositam no Banco Central Europeu (BCE) para alcançar a estabilidade de preços nos próximos cinco anos, 39 % dos portugueses refere que tem a certeza que o BCE não vai ser capaz de alcançar essa meta e 48 % considera que não vai conseguir.

Esta sondagem da GfK revela ainda que 84 % dos inquiridos portugueses considera que, no geral, o Governo não tem sabido lidar bem com a crise da dívida europeia.