Quais os setores mais promissores para as startups?

O Mashable falou com analistas e especialistas em pequenos negócios e criou uma lista dos setores considerados “os mais promissores” para as startups nos Estados Unidos da América.

De acordo com o site norte-americano, um dos setores mais promissores é o da “Internet das coisas”: a maioria das empresas, de diversos setores, estão já a criar dispositivos conectados para melhorar as suas operações. De acordo com a Cisco, o setor da “Internet das coisas” deverá gerar cerca de 14,4 biliões de dólares de lucro até 2022.

O segundo setor mais promissor para as startups é o setor do comércio eletrónico. De acordo com o Mashable, o e-commerce é um setor “enorme” e com players já muito estabelecidos. Ainda assim, é possível para uma pequena empresa vingar nesta área se oferecer produtos ou serviços personalizados e à medida do cliente.

Na terceira posição, o site norte-americano destaca a tecnologia educacional: para manter as crianças interessadas nos estudos, muitos educadores estão a incorporar tecnologia no ensino. Alguns estudos mostram até que o investimento neste setor triplicou entre 2002 e 2011.

A área do desenvolvimento de aplicações móveis já está em ‘andamento’ há alguns anos, mas ainda assim continua a ser uma das mais promissoras para as startups. Este mercado tem crescido 50% ao ano desde 2009, o que indica que ainda há muito campo para ‘desbravar’.

Na quinta posição, a lista do Mashable destaca a tecnologia para vestir, como relógios que funcionam como smartphones ou as pulseiras que analisam a saúde do utilizador. Esta área pode ser promissora para as startups porque “os custos de produção são baixos e o acesso a fabricantes de peças é relativamente fácil”.

Para além disso, a segurança cibernética é outro mercado em crescimento e de particular potencial para startups. Com o crescimento de fraudes no comércio online com cartões de crédito e débito e com hackers cada vez mais “sofisticados”, as empresas começam a perceber que é preciso investir num bom sistema de segurança para as suas redes.

Por fim, o Mashable destaca a tecnologia verde, inovações que procurar acelerar a adoção de energia mais ‘limpa’ sem assumirem os riscos e os encargos associados à sua fabricação.