Saiba o que as grandes empresas podem aprender com as startups

Para muitos grupos de grandes dimensões, a startup é uma fantasia, uma espécie de ideal caracterizado por uma agilidade fora de série. Mas o que têm essas empresas, para além de um espírito audacioso, para poderem competir com os gigantes do mesmo setor? A reunião com croissants às segundas-feiras de manhã, as pausas da tarde com bolinhos, as festas surpresa, os almoços trimestrais… Os rituais e métodos de gestão das startups despertam as equipas, tornando-as mais coesas. Apresentamos aqui alguns exemplos de métodos clássicos e de outros mais modernos, mas todos muito eficazes. A transpor urgentemente nas grandes estruturas que carecem fortemente da sua presença!

O Recrutamento

A chegada de um novo colaborador tem um impacto na cultura da empresa. É um desafio chave para as startups que contratam, em primeiro lugar, candidatos cujo espírito e ‘ADN’ vai permitir a implementação, a evolução e a solidificação dessa cultura. Adrien Falcon, gestor da Deliveroo França, contrata cerca de dois novos colaboradores por semana. Para construir a sua equipa, o gestor não procura perfis com muita experiência ou cursos de prestígio, mas personalidades dispostas a empenhar-se a vários níveis, verdadeiros ‘canivetes suíços’. Foi assim que foi constituída a Deliveroo França, com colaboradores de universos completamente diferentes. E toca a multiplicar a agilidade e a inovação! Michel & Augustin explicam o seu sucesso do mesmo modo: “Contratamos pessoas simpáticas, apaixonadas e curiosas. A curiosidade é essencial para permanecermos ágeis.”

Manter e Gerir a coesão da equipa

O espírito de equipa e de colaboração é essencial dentro das startups.  Alguns rituais simples e eficazes permitem preservar essa coesão enquanto a empresa cresce: o copo da quinta-feira à noite, o jantar de sexta-feira ou ainda, como na Michel & Augustin, ‘os livros do mês’ em que cada um deve ler um trecho de um livro que o marcou, a campainha, a ‘vaca gorda’ que se toca a cada boa notícia na vida da empresa ou dos colaboradores… Vistos de forma isolada, os rituais podem parecer artificiais, mas em conjunto, estes libertam a energia criativa da empresa.

Torna-se ainda mais essencial manter esse espírito de equipa quando os colaboradores trabalham à distância. Por exemplo, na empresa Trello, cerca de metade dos colaboradores estão sediados em Nova Iorque enquanto a outra metade trabalha a partir de vários países no mundo inteiro. Os colaboradores trabalham, colaboram e comunicam à distância. Para manter a coesão, os colaboradores partilham as suas agendas e cumprimentam-se todos os dias de manhã, embora os fusos horários sejam diferentes! É essa organização colaborativa que fomenta a criatividade e a inovação.

Embora as startups não sejam ‘loucas’ por reuniões, a maioria implementou um ponto de situação semanal com as equipas para analisar os pontos fortes e os pontos fracos em 30 minutos, no máximo. É uma oportunidade para fazerem um balanço sobre os desafios do momento, os assuntos a tratar durante a semana e trocarem impressões sobre a visibilidade das funções de cada um!

Desenvolver um espírito de Audácia e Inovação

Quantas empresas baseiam a sua atividade em mercados desbravados por startups ?As startups desenvolvem-se a partir de valores de entusiasmo, coragem, audácia e inovação. A sua grande força é saber ousar. Mas a inovação não se decreta do dia para a noite. Além de terem uma boa ideia de base, as startups cultivam um certo gosto pelo risco, porque para desencantar ‘a’ boa ideia, é necessário experimentar várias. Pelo contrário, as grandes empresas, mais sólidas, cultivam mais uma aversão ao fracasso, o que faz com que muitas não consigam dar a volta tecnológica de que precisam. Porém, os grandes grupos devem incentivar a iniciativa, o que implica antes de mais nada uma gestão que tolera o fracasso. Um dos rituais eficazes das startups é o ‘Champanhe shower’ :  o diretor festeja os fracassos com as suas equipas abrindo uma garrafa de champanhe para celebrar o que aprenderam, o que retiveram.

Há outra maneira eficaz para desenvolver a criatividade das equipas: as ‘Hackatonas’! Para fomentar a coesão das equipas, os colaboradores devem aperfeiçoar um produto inovador muito rapidamente.

E não hesite em decorar as paredes da sua empresa com os valores chave e as citações que pretende transmitir aos colaboradores. Assim, na Michel & Augustin, podemos ler nas paredes: “Fazer antes de mandar fazer”, “Agite a sua imaginação antes de sacar da carteira” ou ainda “E sobretudo, faça o que os outros não fazem.”

Artigo publicado em parceria com o blog RH Bizz.

(Visited 34 times, 1 visits today)