Só 28,5% das empresas equipa colaboradores para trabalhar em casa

Mais de metade dos trabalhadores de todo o mundo tem um escritório em casa, mas nem todos dispõem de um espaço totalmente equipado e profissional na sua residência e as empresas raramente suportam as despesas. Esta é a principal conclusão do mais recente estudo da Regus, que contou com as respostas mais de 44 000 profissionais de 100 países.

Entre os colaboradores inquiridos, 61% afirma ter um escritório em casa, mas apenas 51% confirma ser um espaço profissional. Quanto aos portugueses, 60,8% tem um escritório em casa, mas com ambiente profissional são apenas 48,9%.

A nível mundial, um quinto dos inquiridos revela que custaria um mês de salário para transformar o escritório de casa num espaço de trabalho profissional e apenas cerca de um terço (34%) garante que a empresa tem contribuído para equipar o escritório em casa. No caso dos portugueses, apenas 28,5% dos portugueses confirma que os gastos da montagem desse escritório foram pagos pela empresa, contra 71,5%, que suportou, a título particular, essas mesmas despesas.

Segundo a Regus, “grande parte dos entrevistados globais (79%) considera que as empresas que incentivam os colaboradores a trabalhar a partir de casa não estão cientes de que devem garantir a implementação de normas de saúde e segurança e 77% admite não ter o seguro apropriado para cobrir o seu espaço de trabalho em casa.”

Para além disso, quase metade (49%) destes profissionais acredita que a maioria das empresas que incentivam os seus colaboradores a trabalhar a partir de casa estão simplesmente a tentar transferir o custo do espaço de trabalho para o empregado.

Para Jorge Valdeira, Country Manager da Regus Portugal, “os benefícios financeiros de trabalhar à distância são claros. É vantajoso para os negócios que os profissionais sejam capazes de trabalhar de forma eficaz e com segurança quando estão fora do escritório, mas, por outro, os números sugerem que muitas empresas incorrem no risco de maiores gastos por não regularem os ambientes de trabalho remoto.”