Vitaldent encerra maioria das clínicas próprias em Portugal

O encerramento de cinco clínicas próprias da Vitaldent – Amoreiras, Maia, Laranjeiro, Póvoa do Varzim e Vila Franca de Xira – levou a vários clientes com tratamentos pagos a temerem ficarem lesados com estes encerramentos. O caso tornou-se público em agosto numa reportagem da TVI sobre os receios e os protestos dos clientes junto da clínica dos Clérigos no Porto. Os jornais Sol e o Público também deram conta da intenção da Ordem dos Dentistas de processar a rede de clínicas dentárias.

A origem dos protestos deve-se à política comercial da rede de clínicas que impunha o pagamento total dos tratamentos aos clientes, sendo comum a haver a contração de créditos junto de instituições de financeiras parceiras da marca para efetuar este pagamento à cabeça.

O encerramento de cinco das sete unidades geridas pelo master, levou os clientes a temerem ficar sem os tratamentos ou de não lhes ser devolvido o dinheiro pago por serviços que nunca foram prestados pelas clínicas Vitaldent.

A empresa encerrou o call center e apesar dos esforços da NEGÓCIOS & FRANCHISING não foi possível esclarecer com Francisco João Meireles, master da marca de origem espanhola, se os clientes terão garantidos os tratamentos pagos e se a rede de clínicas irá manter as operações em franchising em Portugal.

Rute Courela, diretora-geral da Vitaldent, também se mostrou indisponível para prestar declarações dado não estar em funções no momento.

As polémicas sobre as clínicas Vitaldent não ficam por aqui e segundo os jornais Sol e Público, a Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) pretende processar a marca por práticas ilegais e apresentou queixa à Entidade Reguladora da Saúde.

A OMD considera que o atendimento prévio dos clientes das clínicas por um comercial (o assessor odontológico) viola a legislação e acusa a marca de publicitar a especialidade de implantologia, situação que não é reconhecida pela Ordem. 

(por Isa Amaral)

(Visited 101 times, 1 visits today)