Workizi, nas obras por gosto

Conferir profissionalismo e credibilidade ao mercado de obras e remodelações é o objetivo da Workizi, uma marca portuguesa que iniciou recentemente a sua expansão. A começar pela Grande Lisboa, quer ter 30 parceiros até final de 2013. Para aderir basta ter gosto por obras e bricolage. 

O negócio das obras e remodelações tem potencial, defende Sónia Santos, diretora de expansão da Workizi. Diretamente associado aos mais de 5,7 milhões de edifícios urbanos existentes em Portugal. “São muitos anos de construções, construções antigas, edifícios históricos e muitas condições diferenciadas”. Neste mercado, a Workizi quer afirmar-se através de “fatores inovadores”: recurso à tecnologia, preços tabelados que confiram transparência ao negócio, cumprimento de prazos, qualidade de serviço e acompanhamento pós venda.

Desde o início, a marca foi pensada para ser expandida em regime de franchising e o arranque deu-se em setembro passado. Vários candidatos estão já em processo final de adesão, o que leva Sónia Santos a afirmar-se “muito satisfeita” com o acolhimento pelo mercado.

A Workizi quer ter presença um pouco por todo o país, em especial nas zonas urbanas, começando com algumas unidades na zona da Grande Lisboa. Durante 2013, os objetivos são chegar aos 30 parceiros e iniciar a análise aos mercados externos.

Investimento variável

Ser franchisado da Workizi não requer trabalhar ou ter experiência na área, mas apenas “gostar de obras e bricolage, ter facilidade de aprendizagem, noção da importância da qualidade do serviço, saber gerir e motivar pessoas e gostar da área de vendas”, avança Sónia Santos. O investimento inicial varia entre os €7 984 e os €14 750 e dá acesso ao material necessário para iniciar atividade, incluindo software de orçamentação e específico de gestão de atividade, diverso equipamento de trabalho, decoração de viaturas e material de marketing.

A Workizi apoia o processo de abertura e garante o acompanhamento contínuo após o arranque. O franchisado pode contar com formação inicial e contínua, ajuda no recrutamento, apoio operacional de início de atividade, planos de marketing e de formação anuais, planos de visitas periódicas e de reuniões com franchisados. “Queremos replicar numa rede de sucesso os muitos anos de experiência em gestão de redes, obras, projetos de arquitetura, engenharia e outros ligados ao ramo”, conclui Sónia Santos. SANDRA COSTA