Rede de franchising Minipreço aposta em novo logótipo e assinatura

Grupo DIA partilha resultados financeiros do 1º e 2º semestre de 2020

O Grupo DIA publicou os seus resultados financeiros correspondentes ao segundo trimestre e ao primeiro semestre de 2020.

PRINCIPAIS DADOS FINANCEIROS 2T20 (todos os números estão em EUR)

  • Vendas Líquidas: 1.819 milhões (2T19: 1.711 milhões), aumento de 6,3% graças ao efeito positivo das iniciativas de transformação e ao comportamento dos consumidores relativamente ao confinamento de COVID-19, ainda que com redução da rede de lojas e com os efeitos monetários adversos provocados pelas divisas brasileira e argentina.
  • Vendas Comparáveis (Like-for-Like): aumento de 14,9%, com todos os mercados positivos pela primeira vez desde o 4º trimestre de 2016, impulsionados por um aumento da cesta média de compra que compensou a descida do número de tickets.
  • Lucro Bruto: 403 milhões (2T19: 303 milhões) o que representa um aumento de 4,4% da percentagem das vendas líquidas, devido ao aumento das vendas e dos primeiros resultados positivos do programa de excelência operacional colocado em funcionamento no segundo semestre de 2019.
  • Custos de pessoal: 191 milhões, o que representa uma ligeira subida já que os impactos das medidas de eficiência de pessoal implementadas em 2019 foram neutralizados pelo pagamento de bónus e pelas necessidades de pessoal relacionadas com a situação do COVID-19.
  • Gastos de Exploração: descida de 1,4% da percentagem de vendas líquidas, graças à adoção de medidas de redução de custos e à descida do investimento em publicidade durante o confinamento provocado pelo COVID-19.
    EBITDA Ajustado: 60 milhões (2T19: -67 milhões), impulsionado pelo aumento do volume de vendas e da melhoria da margem bruta proporcionada por uma firme disciplina de custos.
  • Lucro Líquido: -45 milhões (2T19: -267 milhões) com uma melhoria dos gastos com juros e do efeito monetário negativo de 16 milhões.
  • Liquidez disponível: estável em 435 milhões (1T20:425 milhões) com uma melhoria no perfil de vencimento da dívida após o acordo de refinanciamento alcançado em 2019.
  • Dívida Financeira Líquida: descida para os 1.253 milhões.
  • As vendas líquidas aumentaram 6,4% graças às medidas de transformação locais que incluem um aumento da frequência da entrega de existências para consolidar o aumento da oferta de produtos frescos e os trabalhos de reforma em curso nas lojas.
  • O EBITDA ajustado aumentou 90 pontos básicos graças à aplicação de medidas de excelência operativa.

Gostou deste artigo?

Se pretende ler mais artigos sobre franchising, empreendedorismo e gestão, subscreva a nossa newsletter aqui