A MELOM e a Querido Mudei a Casa Obras (QMACO) fecharam o penúltimo trimestre do ano com uma faturação de 11,3 milhões de euros.

MELOM e Querido Mudei a Casa Obras aumentam faturação no 3º trimestre do ano

A MELOM e a Querido Mudei a Casa Obras (QMACO) fecharam o penúltimo trimestre do ano com uma faturação de 11,3 milhões de euros. O valor representa um aumento de 46% no caso da MELOM e 10% no QMACO.

Em comunicado, as empresas informam que este período ficou ainda marcado pelo incremento no volume de adjudicações, concretamente 52% em relação aos outros dois trimestres do ano. Quanto ao tipo de obra mais solicitado, a remodelação geral mantém-se no topo das preferências, seguido das pequenas intervenções, designadamente canalizações e pinturas, que fecham o top três das mais requeridas.

No terceiro trimestre o valor médio de obra referente às duas insígnias (não considerando a construção de raiz) mais que duplicou (106%), quando comparado com os outros trimestres de 2021, fixando-se em 31.345 euros.

Os resultados mostram também que de julho a setembro verificou-se a abertura de nove novas unidades em território nacional, sendo sete relativas a novas unidades MELOM e duas da insígnia Querido Mudei a Casa Obras, com uma distribuição geográfica de norte a sul do país: Porto, Águeda, Oeiras, Cascais, Sintra, Portimão (duas), Évora e Faro.

Para o diretor-geral da MELOM, João Range, “o penúltimo trimestre do ano foi bastante favorável para a atividade das nossas marcas, que se explica pela opção cada vez mais consciente dos consumidores em serviços profissionais para a beneficiação das suas casas, sobretudo desde que a pandemia nos despertou para a necessidade de termos espaços mais confortáveis e funcionais”.

Para o último trimestre do ano, o responsável refere que “as perspetivas são naturalmente otimistas, pelo que acreditamos poder alcançar níveis de crescimento superiores a 2019, ano de antecedeu a pandemia.”