Portugal acompanha queda drástica do consumo na Europa

Segundo dados da GfK, o impacto do coronavírus (COVID-19) revelou-se drástico nas perspetivas económicas da Europa durante o mês de abril deste ano.

Se no mês de março as expetativas económicas, salariais e a disposição para adquirir algum produto/serviço já tinham começado a perder força, em abril este cenário agravou-se consideravelmente.

Apesar da queda ser mais notável nas expetativas económicas, a verdade é que este é o indicador que apresenta uma menor queda, caindo 27 pontos. A Polónia e a Eslováquia registam as maiores descidas (-76 e -63 pontos, respetivamente). Em Portugal, as expetativas económicas desceram 51 pontos, em comparação com os dados do mês anterior. Ao contrário do que era visível em março, este mês todos os países revelam expetativas económicas negativas, muito provavelmente devido à forte disseminação do coronavírus.

Uma perspetiva económica em colapso também está a levar a uma diminuição significativa nas expetativas salariais. Este indicador apresenta uma queda geral de 33 pontos para a Europa. A Polónia volta a registar uma das maiores perdas (-85 pontos), bem como a Eslovénia e Portugal (-59 pontos cada país).

Assim como as expetativas económicas e salariais, também a predisposição para comprar, como seria de esperar, enfrenta perdas drásticas na Europa com uma queda de 39 pontos. A Polónia é, mais uma vez, o país que regista a maior queda (-77 pontos), seguido da Eslováquia (-71 pontos). Em Portugal, foi registada uma descida de 39 pontos, quando comparado com o valor do mês de março.