Retalho lidera transformação digital

73% das empresas do setor do retalho afirmam ter os recursos necessários para a transformação digital – um valor que contrasta claramente com os 37% registados em 2018. As conclusões são do novo estudo Digital Mastery 2020: ”How organizations have progressed in their digital transformations over the past two years “, realizado pelo Capgemini Research Institute que pretendeu inquirir o número de empresas capazes de implementarem programas de transformação digital e que indica que, cerca de dois terços das empresas inquiridas, revelaram possuir os recursos necessários a nível de tecnologia (60%) e de liderança (62%), salientando que, em dois anos, o crescimento foi de 36%.

O instituto conclui que “embora todas as empresas tenham evoluído na transformação digital em 2020, o fosso entre os digital masters (empresas com elevado nível de competências digitais e de liderança) e as demais empresas se agravou”.

As grandes empresas, com receitas no valor de 20 mil milhões de dólares ou mais, “demonstraram possuir uma clara vantagem na evolução dos seus recursos/competências digitais e de liderança”, anuncia a Capgemini. Foram cerca de 68% destas empresas a afirmar possuir esses recursos e competências contra 55% das empresas com receitas no valor de menos de 10 mil milhões de dólares. O mesmo se passa no que diz respeito à liderança: apenas 57% das empresas de menor dimensão afirmaram possuir as capacidades de liderança necessárias, um valor marginalmente abaixo da média geral – que se situa nos 62%, mas mais distante dos 70% revelado pelas empresas de grande porte.

Todos os setores de atividade registaram uma evolução positiva, revela o estudo. A seguir ao setor do retalho, também o setor das telecomunicações sobressai em 2020, com 71% das empresas a afirmarem o mesmo. O crescimento das competências é liderado pelo setor automóvel, que passou dos 32% em 2018 para 69% em 2020.

O estudo realizado pela Capgemini em 2018 revelou que as pessoas eram uma barreira significativa à transformação digital. “Atualmente, as empresas já estão a conseguir envolver mais os seus colaboradores nestas iniciativas”, o que provocou uma subida deste rácio de 36% registados em 2018, para 63% em 2020, revela a empresa de consultoria. Apesar deste progresso, menos de metade das empresas (48%) inquiridas estão a investir no desenvolvimento de soft-skills, tais como a inteligência emocional, a adaptabilidade e a colaboração.

A Capgemini sublinha que as organizações devem também colocar ênfase na sustentabilidade. “78% dos consumidores concordam que as empresas têm um papel mais importante a desempenhar na sociedade e que este vai além dos seus próprios interesses”, revela o Capgemini Research Institute. No entanto, apenas 45% das empresas estão a acelerar os investimentos, projetos e compromissos relacionados com a sustentabilidade, informa o estudo.